27 de maio de 2016

Boemia Carioca participa do espetáculo Brilho das Estrelas 2

Nenhum comentário :
O Boemia Carioca, grupo de shows e entretenimentos que visa à enaltecer o Rio Antigo com a finalidade de resgatar a parte histórica, cultural e moral da cidade, fundado por Jeff Duarte, que resgata a figura do Malandro Encarnado, realizará no próximo dia 01 de Junho, às 19 horas, o espetáculo Brilho das Estrelas, que terá sua segunda edição no Teatro Carlos Gomes, na Praça Tiradentes.
 

O evento é uma prévia apresentação performática da história dos personagens Zé e Maria, com Miriam Duarte, atriz, estrela do samba, ex-rainha do Cacique de Ramos, e rainha do G. R. E. S. Vizinha Faladeira, no papel de Maria, e Jeff Duarte, o Malandro Encarnado, como Zé. O espetáculo também homenageará atrizes e artistas consagrados e contará com a presença de personalidades como a atriz Arlete Sales, a cantora Jane Duboc, entre outras. 

O valor do ingresso será de R$ 10,00, com a renda arrecadada doada ao Retiro dos Artistas. A produção é de Ayala Rossana, Paula Goodarth e Lú Gondim. A apresentação do evento ficará sob a responsabilidade de Fernando Reski. O evento contará  com a participação de muitos artistas, além do elenco formado por Jeff Duarte e Mirian Duarte, contando um esboço da história de Zé e Maria (O Nascimento dos Bambas); Jeanny Marcenes, como Maria Rosa; Cristiane Camargo, como Maria das Dores; Wagner Luiz, como Malandro Miguel; Jair Ribeiro, como João Grande; e mestre Pulga, comandando o Berimbau, Samba, Gingado e Capoeira.

O Boemia Carioca

Criado por Jeff Duarte, que resgata o Malandro Encarnado (sem cunho espiritual), o Boemia Carioca nasceu do aniversário de um trabalho artístico anterior no mesmo sentido, só que constituído por duas pessoas apenas, e hoje ampliou seu contingente, fazendo adesão de vários outros artistas. "Somos um grupo de shows e entretenimentos que visa à enaltecer o Rio Antigo que tem por finalidade um resgate histórico, cultural e moral da cidade. Nesse contexto, utilizando interpretações artísticas de Malandros, Cabrochas, Malandras, Sinhás e até Aristocratas. Assim sendo um forte apelo cultural entre o Malandro e o Marginal", explica o fundador. 

Segundo Jeff Duarte, o Boemia Carioca tem atividades e compromissos o ano inteiro, pois realiza desde apresentações de dança, até performances em eventos culturais e educativos. Como utiliza o Rio Antigo as vezes, o grupo encontra personagens que são cultuados pelas religiões, mas somente para enaltecer e desmistificar a vida dos mesmos, além de gravações.

Ele acrescentou que nos próximos meses pretende escrever uma peça teatral e um curta metragem com objetivo de enaltecer a figura do Malandro como o capoeira, bamba, resistente e defensor da cultura negra. Além de varias apresentações já agendadas, o Boemia Carioca pretende produzir algo de cunho televisivo, com ajuda de patrocínio.

Atualmente, o Boemia Carioca conta com Jeff Duarte (malandro encarnado), Wagner Luiz e Jeanny Marcenes (casal malandragem), Jair Ribeiro (seis vezes Rei Momo de Niterói), Vânia B. (dançarina de Cultura Negra), Renata Braga (musa de escola de samba), Roberta Freitas (musa de escola de samba), Cristiane Camargo (coreógrafa e diretora de passistas já contemplada com o prêmio Samba Net), Tito Santa Cruz, Anderson Luis, Carlos Salgadinho, Andressa Ramos (primeira princesa do carnaval de Niterói); Hamilton Justo, entre outros. A equipe pode realizar vários eventos no mesmo dia de acordo com o contratante.

O grupo é o mais completo abordando assuntos de Malandragem e Rio Antigo, que tem como base figuras de determinada importância, que conseguem unir o criador oficial do Zé e Maria, o Malandro Encarnado, base do ex-grupo 7 Malandros, Rei Momo de Niterói, a princesa do Carnaval de Niterói, uma das maiores coreógrafas do Rio de Janeiro, o casal malandragem, Poesia de Malandragem, Clipe Malandro Laurindo (música do cantor Elmo Borges, que já preparou o tema do Boemia Carioca), Samba de Elite, defensores da Cultura Negra, e campeões de festivais.


Jeff Duarte, o Malandro Encarnado

Jeff Duarte tem como alcunha "Jeff Duarte, o Malandro Encarnado", por viver a malandragem 24 horas por dia. "Eu participo direta ou indiretamente da maioria dos movimentos e trabalhos sobre a malandragem do Rio de Janeiro. Minha luta é desvincular a malandragem da bandidagem, e mostrar que o bom malandro é um cartão postal da Cidade do Rio de Janeiro, com seu gingado, encantamento, e elegância de jogo de cintura. O malandro também não é só um personagem que existe nos terreiros religiosos. Malandragem é um estado de espírito. Ser malandro significa ser esperto, ter a esperteza plena de se dar bem, enaltecendo e respeitando todas as pessoas. Como colunista do portal Sambando.com procuro informar todos os eventos e trabalhos dessa categoria que acontecem no Rio de Janeiro. Sou também condecorado por serviços prestados às culturas negra e cigana, além de grande referência de imagens do gênero em todo o país e alguns outros", explicou.

Nenhum comentário :

Postar um comentário