21 de maio de 2016

Sublime amor ao pavilhão

Nenhum comentário :
* Por Thalles Mascarenhas 
 
"É sangue é suor , religião". Um Pavilhão na vida de um torcedor é algo de tamanha importância muitas vezes sendo impossível descrever em palavras e gestos .

Capaz de mexer com os brios dos componentes, despertar as mais diversas reações como amor , tensão e choro. Em conversa com o Folia do Samba  torcedores extremamente orgulhosos das cores que carregam no peito nos contam como começou essa intensa história de amor .

Thayza Araujo - Salgueiro
 Conheci a escola através de familiares meus que moram a duas quadras da rua que fica a quadra do Salgueiro, meu tio também conhecia funcionários que trabalhavam lá. Amo o salgueiro desde garota, ficava esperando pra ver só o desfile do salgueiro, as outras eu nem ligava e minha mãe é portelense. Até que na adolescência eu comecei a frequentar os ensaios da quadra com meus primos, ia toda semana, ficava encantada com a bateria, os sambas a energia daquele lugar é fora do comum.
 O  Salgueiro significa pra mim um amor daqueles de infância sabe? Aqueles que você nunca esquece. Eu defendo, não suporto quando falam mal do salgueiro, que nem filho vc sabe que tem lá seus defeitos, mas não deixa de amar, e sempre torce pra que nada de mal aconteça e torce sempre pelo sucesso.



Douglas Matias - Santa Bárbara
 Sempre gostei de Carnaval. Assistia aos desfiles pela TV e até acampava na sala.
Mas, depois de adulto, usava o feriado de Carnaval para viajar. Uma outra paixão.
Já conhecia a Unidos de Santa Bárbara pois sua quadra fica no caminho da casa de uma grande amiga. Sempre a via com um misto se curiosidade e preconceito.

Um dia, sem grana pra viajar no feriado do Carnaval, resolvi passar lá e perguntar como fazia para desfilar. Estava disposto a comprar fantasia e matar essa minha curiosidade.Fui no sábado a tarde, fui super bem recebido e acabei sendo convidado a desfilar por outra escola, do Grupo 3 da Uesp. Fui desfilar com ele na Rua é foi maneiro!
Segunda voltei lá para desfilar pela primeira vez no Anhembi. Minha primeira vez e da escola, que acabara de subir campeã do Grupo 2.
Eu chorei qdo tocou a sirene e começou o esquenta. Ali nasceu em meu coração meu amor pela Unidos de Santa Bárbara.
Fui pé quente, nos consagramos campeões, subimos para Grupo de Acesso! 🏆
 Unidos de Santa Bárbara
Amor sem limites!
Estou na escola até hoje, desde o primeiro sábado é o primeiro desfile, lá em 2012. Já são 4 anos e indo pro 6 desfile: 12, 13, 14, 15, 16 e preparando o 2017. 😃


Gabriel Almeida- União da Ilha 

Então, sempre fui morador da ilha a muito tempo. Sem gostei muito da escola, desde pequeno, mas ainda não era aquele amor platônico, sabe? Na época eu torcia para beija flor e mocidade, era criança, não sabia nem o que era samba direito. Até que em 2009, eu fui para final do samba e me apaixonei pelo enredo. Fiquei até de madrugada para esperar o desfile e no mesmo ano (em 2009), a ilha foi campeã do grupo de acesso. Puts, o coração não aguentou, senti que aquela era a minha escola, não tinha espaço pra mais nenhuma. Hoje minha escola é Ilha, mas sou apaixonada pela Portela e continuo gostando muito da beija flor e mocidade.
Acho que acima de tudo, a ilha é uma escola de bom humor, alegria e pouco luxo. Acho que é isso que eu mais gosto dela. É a alegria, os sambas divertidos, o bom humor...  E acima de tudo o respeito. Até pq o respeito move o mundo.
Ahh, a ilha faz parte da minha vida, a quadra é pouco metros da minha casa, sabe? Qualquer evento eu to lá, se tornou minha segunda casa. É lá que me sinto bem, alegre, de bem com a vida... Eu amo muito minha escola, mesmo não tendo nenhum título. Ela não é grande, nunca foi campeã mas é minha escola, e nunca deixarei de ama-lá por isso.
''Alô união da ilha, escola do meu coração e de vocês também''

Matheus Medeiros- Bambas da Alegria 
 
No ano de 2012 tive meu primeiro contato com a S.E.R.E.S. Bambas da Alegria, através de amigos que me levaram para a escola, aonde fui componente da Ala Coreografada, aonde permaneci até 2013. No ano seguinte (2014), realizei um dos meus maiores sonhos, que era ser bailarino da Comissão de Frente, aonde permaneci até o ano de 2015 no mesmo ano estava presente no primeiro título da escola, momento marcante.
No ano de 2016 fui um dos aderecistas das Alegorias e Adereços da escola.
Desde meu primeiro contato com a agremiação, o que eu senti foi uma sensação maravilhosa, comunidade guerreira, unida e forte. Que batalha pela sua bandeira. Devida à garra de cada componente, a vontade de ir mais além, fazer nossa águia alçar voos cada vez mais altos, o amor foi surgindo, fui me envolvendo cada vez mais e aprendi a amar a tricolor do Carnaval de Uruguaiana.
Pude ao longo desses carnavais acompanhar o crescimento e desenvolvimento de uma verdadeira família é o que representa pra mim, tendo a oportunidade de crescer junto.
Comunidade Guerreira da Folia! Voa mais alto minha Águia!!! O azul do céu é seu .

Taty Siqueira  - Mocidade Independente

 



Meu primeiro contato com escola foi quando eu tinha 11 anos quando fui na quadra com o pai de uma amiga que era segurança na época , o carisma da comunidade o acolhimento e o carinho que recebi quando visitei me fizeram me apaixonar pela escola  . A mocidade para mim significa Vida , Alegria , emoção! Tudo. 







Marcos Felipe Reis - Mangueira
 
Eu sempre ouvia falar das cores da escola, o verde e o rosa, é uma combinação bem marcante. Em 2006 meu pai comprou um CD dos sambas de enredo do mesmo ano e ao ouvir a faixa da escola eu me emocionei com a voz de Jamelão, então intérprete, e adorei o samba com arranjo de xaxado. Fui pesquisando mais sobre a escola na internet e a cada curiosidade me apaixonei mais pela história da escola. A Estação Primeira de Mangueira pra mim representa brasilidade, tradição, emoção. É uma paixão pura que mesmo nos momentos de crise consegue se sustentar na garra de toda sua comunidade. Acho que uma parte bem legal foi quando a escola sagrou-se campeã este ano, muitos da área carnavalesca como imprensa, fãs e até carnavalescos reconheceram e receberam bem o título como um renascimento, um respeito e isso eu acho fantástico.



Rafael Araújo - Império de Casa Verde


 "bate forte coração, minha paixão, TE AMO IMPÉRIO" Meu amor pelo tigre guerreiro da casa verde começou quando  a escola ascendeu ao grupo especial, sempre morei distante do sambódromo e meu contato com o carnaval era basicamente pela televisão (era novo ainda e sempre fui tímido, então o carnaval era um mundo muito distante pra mim). Era torcedor de outra agremiação, mas a vinda da império com um lindo desfile sobre "nho João" saltou ao meu olhar e passei a esperar o desfile da escola ano após ano. Passados três anos e com um título na carteira, apareceu uma oportunidade em 2006, horas antes do desfile, uma amiga da minha irmã, desistiu de desfilar e entregou uma fantasia em casa, meu irmão (menos tímido) foi desfilar pela escola que havia me encantado e a partir deste dia vi que o carnaval não era um mundo tão distante assim... Veio o bi e resolvi participar da escola para o próximo carnaval, a sensação que tive ao chegar na quadra, ser muito bem acolhido, ouvir os sambas que me emocionaram pela TV e finalmente sentir o rufar da bateria arame farpado na época (atual Barcelona do samba) me fizeram ter a certeza de que eu estava na minha escola do coração. Após está grande emoção/descoberta, mesmo iniciando uma participação maior na escola não consegui desfilar (falta de vagas), peguei isso como lição e mais familiarizado com o carnaval participei ativamente da preparação do carnaval de 2008 onde fiz minha estreia no Anhembi, na ala "pelo telefone", desde então, não consigo largar mais este vício chamado Império, hoje posso dizer q sou um membro ativo da minha comunidade, na escola que posso afirmar que amo de paixão, local de onde guardo cada uma das emoções vividas e em busca de novas emoções me dedico cada vez mais ao meu tigre, me dedico para que ele sempre esteja no lugar que lhe é devido: o topo da tabela na elite do carnaval de São Paulo.

 
 Messias Vicente - Grande Rio 



Conheci a escola através dos veículos de imprensa e pessoas que admiram e desfilam na escola.
 A paixão despertou bem antes de fazer parte da escola foi vendo a garra e o amor pela escola ao defender e mostrar o orgulho de ser de Caxias , a Grande Rio para mim significa amor e  paixão não só pela escola como pelo samba e pela boêmia carioca significa respeito acima de tudo amor pela escola.
Eu como morador de Duque de Caxias bato no peito com orgulho, em ser Grande Rio em ser tricolor caxiense e esse amor a cada ano só aumenta se renascendo de forma intensa dentro de mim. 

 



 Juninho Joaquim - X9 


Em 97 eu acordei liguei a TV e Tava passando o desfiles das escolas de samba de SP, eu assisti e falei pra minha mãe essa escola que vai ganhar e a x9 ganhou e de lá pra cá virou o meu amor , eu era pequeno e todo ano acordava para ver o desfile da x9 que era a única que minha mãe deixava eu assistir , eu via pela TV as chamadas da Globo e estipulava mais ou menos o horário de desfile e acordava para assistir . Em 2003 minha mãe não deixou eu assistir
O desfile e a TV lá de casa estava quebrada eu fugi de casa para assistir o desfile da X9 . O tempo passou eu não tinha acesso a CD à nada por que morava no interior então pouquíssimas coisas eu sabia antes do desfile e só aprendia metade do Samba que era a parte que passava na vinheta.  Em 2010 eu juntei o dinheiro e fui assistir pela primeira vez o desfile no Anhembi e depois disso minha vida mudou totalmente, em 2011 larguei tudo é fui morar em São Paulo em 2012 morando em SP fui trabalhar no barracão da X para estar mais próximo da escola e de lá pra cá esse amor só tem aumentado x9 é minha vida , minha religião , o ar que eu respiro, desfilo pela escola todo ano , esse ano foi bem difícil chorei muito depois do desfile e na apuração mais iremos dar a volta por cima e novamente irei sorrir com a minha escola .

Nenhum comentário :

Postar um comentário