9 de junho de 2016

Ala mirim da Unidos de Padre Miguel, tem que respeitar!

Nenhum comentário :
Vencedora de três premiações de destaque do carnaval, o grupinho bota pra ferver na Avenida



Ser eleita a melhor ala em três grandes prêmios do carnaval 2016, é um feito de gente grande?! Errado! E quem prova isso são os pequenos da Unidos de Padre Miguel (UPM), que desfila pela Série A. O grupo de crianças da ala mirim da agremiação arrematou com uma desenvoltura alegre os Troféus Jorge Laffond, Sambista e Samba-Net. Atualmente, é a ala infantil mais premiada no carnaval do Rio, pela categoria em que desfilam, registrando um total de sete conquistas.




A responsável pelo sucesso é diretora da ala infantil, a tia Janaína, ou simplesmente, Janaína Daniela Augusta da Silva, 39. Ela afirma que o segredo da turminha é o carinho e o amor que ela dá a todos, ao longo do ano. Há três anos como diretora do segmento da UPM, ela conta que antes de ocupar o atual posto atuava como apoio na ala, o que facilitou o trabalho com as crianças.



- O que faço é muito natural. Aos poucos tive que ir conquistando as crianças. O ano todo converso com elas, frequentam minha casa, procuro conquistar a confiança delas. Eu observo se são bem tratadas pela família e nos ensaios busco animar com passinhos, levo confete, bolinha de sabão. Eu faço por amor, não tem muito misterio! - revela a tia orgulhosa.



Após o resultado das premiações a festa da páscoa teve um sabor diferente. O presente dado aos membros da ala mirim pela madrinha do grupo, dona Deise, teve três motivos mais, para celebrar. Este foi o meio encontrado para homenagear os sambistas mirins, quase todos moradores da Comunidade Vila Vintém.



Ratinhos do porão, uma questão de ponto de vista!



O enredo da Padre Miguel narrou em uma espécie de sátira o período Brasil colônia do país, que fora definido pela agremiação com o nome de Quintos dos infernos. E neste quintal infernal, as crianças formavam a ala Ratinho do Porão.Mas de primeira não gostaram muito disso. Janaína contou que para convencê-los e a seus pais de que a imagem dos ratos não era pejorativa, ela fez alusão ao filme da Pixar, Ratatouille, onde um ratinho é o astro principal.



Para fazer parte das crianças da tia Janaína, os pequenos precisam ter entre oito e 12 anos conforme determinação jurídica, além de duas qualidades, notas boas no ano letivo e bom comportamento em casa. Do contrário, leva chamada da diretora de ala. Para tanto, ela exige que em semanas de prova não compareçam aos ensaios.



Por falar neles, a rotina dos mirins da UPM segue conforme o ritmo da escola, ou seja, participam dos ensaios de canto na quadra e depois nos de rua. Geralmente dedica-se cerca de uma hora e meia nesta preparação. A tia da criançada sambista afirma conhecer a cada um dos seus integrantes da ala, se estão tristes, com  problemas... Ela declara o amor que sente pelas crianças e pelo trabalho que realiza com elas:



- É gratificante! Posso estar arrasada, mas são eles que fazem minha vida colorida. Tenho medo de por causa da minha saúde, de não poder seguir (sofre com hérnias de disco). Eles que me dão força. São filhos que Deus me deu! - emociona-se a diretora, enquanto fala sobre os pequenos da UPM.



Ao todo, Janaína contabiliza nove anos de dedicação a este segmento da escola. Hoje, a diretora tem ao seu lado como vice-diretor, o jovem Rômulo dos Santos, que foi integrante da ala e seguiu os passos da tia Jana. Foi apoio e depois alçado à vice-diretor, dando todo suporte à sua mentora.


Texto de Angélica Zago / Jornalísta

Nenhum comentário :

Postar um comentário