1 de julho de 2016

PROSA DO FOLIA: Lucinha Nobre, porta bandeira do Porto da Pedra

Nenhum comentário :
A porta bandeira que recentemente foi chamada pela Porto da Pedra é a nossa entrevistada de hoje aonde revela detalhes da sua vida, o surgimento de sua nova parceria com Marlon Lamar etc..

 Para começarmos fale um pouquinho sobre você ( Um lado que ninguém conhece)
- Eu tenho um filho de 17 anos que é super parceiro. Moro no Flamengo com ele e o meu namorado, que tem uma banda de hip hop chamada Start Rap. Nós somos bem grudados e quando não estou trabalhando estou sempre com eles. Trabalho de hostess num restaurante maravilhoso em Ipanema, o Zazá Bistrô. Sonho em ter um restaurante com minha mãe e meu irmão. Eu falo inglês, francês e alemão, o que me ajuda muito no trabalho e me rende algumas traduções também. Também faço produção de eventos, shows e palestras. Agora estou aprendendo a tocar de dj e estou amando muito essa novidade. Tranquei a faculdade de jornalismo na Facha mas quero muito finalizar o curso, escrever um livro...

Como começou sua trajetória no mundo do samba ? Por quais escola você já passou ?
- Começou em 1984 junto com a inauguração do Sambódromo, pela escola mirim Alegria da Passarela. De lá pra cá tive uma bela trajetória, passando por  Mocidade, Tijuca, Portela e Inocentes, além das mirins Alegria da Passarela, hoje Aprendizes do Salgueiro e Herdeiros da Vila.

Como veio o convite para o Porto da Pedra?
- Algumas pessoas da escola me procuraram sondando mas achei que era mais curiosidade de torcedor mesmo. Eu já estava inclinada a dançar no acesso. Quando o presidente Fabio me propôs um encontro fui meio sem saber o que aconteceria mas foi muito tranquilo. Ele disse que o santo dele bateu com o meu e eu já saí do encontro contratada.

O que você pode adiantar do carnaval 2017 ?
- Estou muito feliz em retornar ao carnaval. A parada foi necessária mas esse retorno é fundamental pra minha alegria. Quem me ver passar na Avenida vai me ver feliz. Quero fazer transbordar de alegria o coração das pessoas. Parece piegas mas é verdade, eu quero encantar a todos!!!
Foto: Alex Sandro Gardel

O quesito mestre sala e porta bandeira é um dos mais importantes e defendido apenas por duas pessoas, como é ter essa "pressão" e responsabilidade de levar o pavilhão da escola ?
- Pode ser uma pressão pra quem vê de fora mas pra quem conta pontos desde os dezesseis anos acaba virando uma coisa normal. Eu já acostumei, é parte do que eu sou. Esse ano eu dormi na apuração, pela segunda vez na vida desde que  me entendo por gente. Eu só tinha perdido uma apuração na vida, em 1998 quando eu fui pro arrastão da Timbalada, na Bahia...

Qual seu carnaval e seu samba mais marcante ?
- Com tantos desfiles fica difícil escolher, então eu não tenho como citar um só. A estreia como primeira em 1992 foi bacana, em 1997 desfilar de bailarina foi incrível, em 2003 tirei todas as notas dez sozinha e a Tijuca pela primeira vez na história liderou uma apuração, depois na Portela foi só aprendizados e histórias bonitas. Mas marcante mesmo foi desfilar com um samba do meu irmão, na escola do meu coração em 2014, depois de tanta dificuldade Pernambucopolis foi uma catarse na avenida.

Como nasceu a parceria Lucinha e Marlon, como é a relação de vocês ?
- Quando eu o vi dançando em SP achei que ele tinha um lance bem especial mas não me passou pela cabeça dançar com ele. Depois conversando com meu namorado eu comentei sobre a dificuldade de achar um par e ele me disse que meus olhos brilhavam quando eu falava do Marlon. Liguei pra ele, que por acaso estava no Rio, chamei ele pra me ver tocar de dj. Quando o vi, peguei em posição de dança pra ver se encaixava, dois minutos depois a parceria estava formada, ali mesmo, numa festa de hip hop!!!
Foto: Alex Sandro Gardel
O que te deixa mais tensa, se apresentar para o jurado ou ver as notas na apuração ?
- Me apresentar para o jurado é o que eu sei fazer, então depois que eu entro na avenida procuro apenas me divertir, dançar o melhor que eu puder e ajudar a escola. Essa é a parte mais fácil... Depois na hora da apuração aí sim é muito sofrido, porque não se pode mudar o que já foi feito. Então dá mesmo aquela falta de ar e aceleração no coração, não tem jeito.

Já aconteceu algum imprevisto na hora do desfile ?
- Imprevistos sempre acabam acontecendo. Já fui pra avenida sem bandeira e meu irmão teve que voltar de metrô em casa pra pegar, rs.. Já ficou em casa também um saco cheio de plumas, já tive roupa que ficou pronta muito em cima da hora, o que desconcentra demais a preparação, já tomei rajada de vento de helicóptero na avenida, junto com a Adriane Galisteu!!!

 Você tem alguma inspiração no samba ?
- Minha inspiração sempre foi Rita Freitas. Pra mim a mais completa, a frente do seu tempo, inteligente, talentosa e generosa. Também tive uma bela convivência com a Tia Dodô e isso pra mim foi muito especial pra entender o meu papel na dança, isso foi muito inspirador também. Com ela aprendi a amar e respeitar a minha dança acima de qualquer outra coisa.

O que o carnaval mudou em sua vida ?
- O carnaval moldou a história da minha vida. Graças a ele e a educação que recebi dos meus pais, eu hoje posso me considerar uma vitoriosa por ter a honra de poder mostrar o meu talento e poder trabalhar fazendo o que mais gosto, que é dançar.

Deixe seu recado para o mundo do samba 
-Que o sambista se respeite e respeite mais ainda o próximo... Que não faça com os outros o que não gostariam que fizessem com si próprio e que as pessoas tenham mais ética de uma forma geral, porque é muito triste você ver as pessoas se desrespeitando, por causa de cargos e posições.... O mais importante é o samba Continuar vivo e honrado e isso cabe a nós sambistas. Vamos valorizar mais a vida em si e deixar de lado a ganância e a maldade porque assim seremos mais felizes. 😊
Foto: Alex Sandro Gardel

Nenhum comentário :

Postar um comentário