8 de agosto de 2016

PROSA DO FOLIA: Karina Zamparolli, porta bandeira da Mocidade Alegre

Um comentário :
 O nosso papo de hoje é com Karina Zamparolli,  porta bandeira da Mocidade Alegre 
Foto: Renato Cipriano
Para começarmos fale um pouquinho sobre você
 - Sou uma pessoa tímida, principalmente quando preciso falar em público. Por incrível que pareça mesmo tendo esse meu lado tímido sou formada em Comunicação Social com ênfase em rádio e tv...rs, atualmente trabalho em uma instituição financeira. A razão do meu viver é a minha família, se eles estiverem bem eu estou! Sou noiva do Julio César, há quase 2 anos,  em dezembro vamos completar o total de 09 anos juntos, pretendemos nos casar muito em breve e realizar nosso sonho de comprar nosso apartamento. Sou uma pessoa alegre, de bem com a vida e procuro fazer as coisas que mais gosto, que me faz bem, sou muito coração, totalmente sentimental, não escondo minha tristeza e minha alegria, sou muito verdadeira! Em casa conto com a alegria e o amor inenarrável da Milla minha cachorrinha de 3 anos e o Juka cachorrinho do meu noivo, vai completar 1 aninho e nos visita todos finais de semana, são minhas vidas! Gosto de viajar, amo sol, praia, cinema, papear com os amigos e quando dá  gosto de ficar em casa em paz, curto muito um sossego que só o meu lar me transmite.

Como começou sua trajetória no mundo do samba ? Por quais escola você já passou ?
- Iniciei minha história no samba em 1997, quando frequentava com meus pais e irmã uma roda de samba no clube Guapira e a Solange Roxo ( na época departamento feminino) da Escola de Samba X-9 Paulistana convidou minha família para assistir um ensaio na Parada Inglesa, a princípio não queria ir, só fui porque eu gostava de ver minha irmã sambar, ela dançava todos os ritmos,  foi por ela dançar muito bem que a Solange nos convidou para o ensaio. Quando deparei-me com a porta bandeira e o mestre sala bailando ( na época primeiro casal Luana Brito e Paulo Roberto) meus olhos brilharam, enquanto minha irmã só tinha olhos para a Bateria do Mestre Adamastor, que também ficou encantado com o Samba dela. Fui para casa totalmente apaixonada, queria voltar todo domingo,  ficava em casa imitando a porta bandeira, pegava a vassoura e ficava ensaiando, falei para minha mãe e família que queria ser porta bandeira,  ninguém acreditava que eu queria dançar, ainda mais em público,  pois sempre fui muito tímida,  eu e minha irmã desfilamos no primeiro ano juntas na ala das crianças. Porém, minha mãe sabendo desse meu sonho me inscreveu no projeto da Escola de Samba que era ministrado pela Porta Bandeira Oficial da Escola de Samba.  No ano seguinte 1998, minha irmã recebeu um convite para ser rainha mirim da bateria e eu recebi um convite da Luana Brito e do presidente Laurentino Borges Marques 'In memoriam' para ser a Porta Bandeira mirim da X-9, foram essas duas pessoas que me deram a grande oportunidade de ingressar na arte, no qual sou muito grata. Dois sonhos realizados, o meu e da minha irmã,  minha mãe desfilava de apoio nos ajudando em tudo, estavamos realmente em família. Em 2002 assumi como Porta Bandeira juvenil, 2004 como segunda Porta Bandeira (Pavilhão de enredo).  2007 Permanecendo na X-9 tive uma breve passagem no carnaval Bragantino ostentando o pavilhão oficial da Escola de Samba Caprichos Saada, em 2008 recebi um convite no último instante junto ao meu mestre sala para ostentar o Pavilhão Oficial de uma Escola de Samba do acesso de São Paulo, a Primeira da Aclimação, onde foi a primeira vez que disputei nota no Sambódromo do Anhembi e graças a Deus a nota máxima veio para nossa alegria. 2009 me tornei Porta Bandeira Oficial da X-9 Paulistana, permanecendo na escola até 2011. Em 2012 fiquei afastada do carnaval, em 2013 comecei a fazer parte da família Mocidade Alegre aonde atualmente defendo com muito amor nosso manto sagrado!!

 Como você conheceu e como veio o convite para Mocidade Alegre ?
- Desde que eu era criança eu conhecia a Mocidade Alegre, amava os seus sambas de enredo, sempre achei os mais bonitos e empolgantes do carnaval, era uma escola que sempre teve a minha admiração. Em 2012 estava afastada do carnaval, fazia tempo que não aparecia em uma quadra de escola de samba, até que o meu amigo Paulinho Sales de Bragança Paulista chamou eu e o meu noivo para ir no lançamento de enredo de 2013 da Mocidade Alegre, foi a primeira escola que eu visitei depois do meu afastamento do carnaval, após uns 2 meses o Emerson Ramires Mestre Sala Oficial da Mocidade Alegre, me convidou para fazer um teste para suprir a ausência de apenas 1 ano da Adriana Gomes que sofreu um acidente de elevador e machucou o joelho, passei no teste e me tornei a sexta Porta Bandeira a defender o símbolo máximo da Morada Do Samba. Quando passou o carnaval de 2013 a Adriana decidiu seguir novos rumos, assumiu o pavilhão da Mancha Verde e eu permaneci como primeira porta bandeira da Morada, no qual vou para o meu 5° carnaval.

Qual seu carnaval e seu samba mais marcante ?
- Sem dúvidas alguma o meu carnaval mais marcante, que se tornou inesquecível foi a minha estreia na Mocidade Alegre em 2013, no qual tiramos nota 50 e a Morada se consagrou Bi-Campeã do carnaval. Já o meu samba marcante foi o de 2014 " Andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar"
Foto: Alex Nunes

Qual sonho ainda pretende realizar no mundo do samba ?
-  Meu maior sonho no mundo do samba é quando eu parar de dançar, olhar para trás, ver que realmente eu fui uma pessoa que servi de exemplo para os mais novos, que deixei um legado positivo e que não deixei a tradição se perder. Assim como temos grandes exemplos como Gabi e Vivi, Manoel Díonisio, Vilma Nascimento... entre tantos outros que eu tenho o maior respeito e admiração. È satisfatório para quem realmente ama a arte, nada paga o valor de uma história bem vivida e com dignidade.

O quesito mestre sala e porta bandeira é um dos mais importantes e defendido apenas por duas pessoas, como é ter essa "pressão" e responsabilidade de levar o pavilhão da escola ?
- É exatamente isso, um quesito tão importante quanto os demais, porém defendido apenas por duas pessoas, as vezes as pessoas nem imaginam o que se passa em nossa cabeça, o frio na barriga que dá nesse casal antes de passar a faixa amarela, a expectativa que temos para chegar logo a apuração e ver qual o resultado que trouxemos para a nossa escola.Claro que temos uma equipe envolvida nos bastidores para nos ajudar, porém na hora do julgamento somos só nós dois e mais ninguém! Imagina o tamanho da responsabilidade em ostentar o manto sagrado da escola? O símbolo maior, aquele que carrega diversos sentimentos de uma comunidade inteira, sim somos nós que temos essa missão!! A nossa própria pressão já é o suficiente para termos ciência dessa grande responsabilidade, costumo dizer que a nota é consequência de um trabalho bem desenvolvido e com muito amor ao que faz, com certeza a comunidade saberá o quanto esse casal se dedicou para aquele momento, independente do resultado final.

O que te deixa mais tensa, se apresentar para o jurado ou ver as notas na apuração ?
- O que me deixa mais tensa é ver as notas na apuração, o momento em que saberemos o resultado do nosso trabalho. Qualquer dia eu infarto na apuração...rs**

 Como é sua relação com seu mestre sala ?
- Vou para o meu 5º ano de parceria e mantenho a mesma visão sobre o Emerson de quando iniciei. É uma pessoa perfeccionista, responsável, empenhada e talentosa. Tenho muito orgulho das nossas conquistas, afinal, foram obtidas com muito suor. Nossa relação é de irmão, nós discutimos, nos amamos, nos desentendemos, ficamos a flor da pele perto do carnaval, porém queremos apenas o bem um do outro e corremos absolutamente juntos pelo nosso objetivo, é uma parceria que deu certo!
Foto: Alex Sandro Gardel

Como é a sua preparação para o carnaval ?
- Minha preparação é de treino funcional com o Marcelo da Morada, meu preparador físico, ele pega pesado, tento me alimentar bem, beber bastante água para não desidratar, quando chega perto do desfile estou com o físico preparado para suportar o peso da fantasia. Fora as minhas grades de ensaios com o meu mestre sala, fazemos ensaios com fantasia, com saiote, com roupa normal, no Anhembi, na quadra, na rua...etc...

Já aconteceu algum imprevisto na hora do desfile ?
- Sim, em 2014  no ano da fé, quando a Mocidade estava na concentração já posicionada para entrar na avenida e tocando os seus hinos, eu estava passando mal, vomitando sem parar, super fraca e desidratada e para completar estava com uma bolha imensa na sola do meu pé. Por um momento achei que não ia conseguir desfilar, chorava de desespero, mas com a ajuda de todos, com o apoio, as orações eu consegui entrar. O meu medo era não aguentar durante o desfile e graças a Deus consegui passar a faixa amarela. Foi o desfile mais difícil da minha vida, quem esteve do meu lado sabe o que eu passei. Mas, nesse desfile a fé venceu, porque ela não costuma falhar e fomos coroados novamente com a nota máxima e a Mocidade foi tri-campeã do carnaval!

Você tem alguma inspiração no samba ?
- Tenho várias, não uma específica, pois todas portas bandeiras tem o seu valor e as suas qualidades que me chamam a atenção, assim me inspiro para adequar ao meu estilo próprio.
Foto: Alex Nunes

O que o carnaval mudou em sua vida ?
- O carnaval é uma grande paixão, para viver com ele em minha vida, tive e ainda tenho que fazer escolhas e me privar de muitas coisas. Tenho uma família, um noivo e amigos que me apoiam, entendem a minha ausência e torcem por mim, então consigo conciliar. Amo o que eu faço e com certeza o que trago comigo é a felicidade que o carnaval me proporciona.


Deixe seu recado para o mundo do samba
- Espero de coração que todos os sambistas caminhem cada vez mais unidos, independente de qual camisa vestem, que possamos andar de mãos dadas, nos respeitando e amando essa festa popular, lutando para que a nossa cultura prevaleça sempre em nosso país, pois o Brasil tem a cultura mais rica e diversificada. Precisamos provar para as pessoas que ainda tem "pré-conceito" com as nossas escolas de sambas, com o nosso carnaval, que não somos só folia, fantasias e carros luxuosos,  somos projetos sociais, ajudamos muitas pessoas com os empregos que são gerados no carnaval. Temos a missão de cultivar nossas raízes e não podemos deixar isso morrer! Desejo a todos um excelente carnaval de 2017, que seja um carnaval de superação, inesquecível e de muita alegria! E claro não poderia deixar de agradecer a minha escola Mocidade Alegre, por todas as alegrias que tem me proporcionado, é a agremiação que conquistou o meu coração, tudo que eu faço é por amor, respeito e gratidão a esse pavilhão que completará simplesmente 50 anos de uma linda história de lutas e glórias, que eu tenho a grande honra de fazer parte.
Beijos para toda comunidade da Morada do Samba!!!

Um comentário :

  1. Linda demais por fora e por dentro!
    Amei a entrevista, e me lembro perfeitamente do seu início!
    Sucesso sempre Ka♡

    ResponderExcluir