21 de setembro de 2016

Rio: Retrato de um Brasil Plural

Nenhum comentário :
 *Por Thalles Mascarenhas

Abençoado por Deus e bonito por natureza assim é o Rio de Janeiro a Cidade Maravilhosa  de tantos amores, de tantos sabores e de encantos mil.

Em função das Olimpíadas e Paralimpiadas que ocorreu no Rio de Janeiro no último mês a Cidade atraiu todos os olhares do mundo de forma muito positiva mostrando a sua brasilidade e diversidade de gênero em especial o Boulevard Olímpico que foi o principal ponto turístico desse período.
Em meio às suas belezas naturais e construções arrojadas vale destacar a ação dos artistas de rua que se apresentavam na região recebendo  remuneração popular sem incentivo do estado  em troca de sorrisos abrilhantando cada vez mais o espetáculo que foi o Boulevard Olímpico.

O Artista de Rua Denis afirma "Trabalho na rua mais não sou da rua, Graças a Deus tenho onde dormir e tenho família. Poderia estar em qualquer esquina assaltando mais estou aqui querendo tirar um sorriso de cada pessoa, esse é meu pagamento se mesmo assim eu for  merecedor de alguma contribuição agradeço, mais ninguém é obrigado a nada".
Foto: Thalles Mascarenhas

Entre Mágicos, palhaços, covers e estátuas vivas o Rio de Janeiro foi um verdadeiro palco a céu aberto onde muitas cores, gostos e tradições tiveram a oportunidade de serem apresentadas a pessoas de todo o mundo e o jeito eclético do brasileiro de ser sem elitismo, aberto a novos costumes foi exaltado valorizando desde a classe dos grafiteiros até artistas de nome no cenário mundial como a cantora Elza Soares que se apresentou em uma das noites durante o evento.
Foto: Thalles Mascarenhas

Em relação ao grafismo que é confundida por muitos por pichação devido à falta de conhecimento, foi exaltada como se deve e a arte de grafitar recebeu o devido reconhecimento na área do Boulevard Olímpico. A arte produzida pelo grafiteiro Eduardo Kobra que serviu de cenário para fotos de milhares de turistas foi agraciada ocupando um lugar no livro dos Recordes como maior mural de grafite  a céu aberto do mundo.
Foto: Thalles Mascarenhas

A cidade Olímpica e também Capital do Samba não poderia deixar de exaltar seu ritmo característico, os artistas das escolas de samba também tiveram seu momento de exaltar a arte e todas as escolas tiveram apresentações de gala, que tiraram muitos aplausos de todo o publico presente ao entoar seus maiores clássicos.

Essa presença freqüente do Samba nos jogos Rio 2016 fez valer o trecho de um consagrado samba de Nelson Sargento “O Samba agoniza mais não morre”, pois segundo muitos o gênero está em baixa mais essa participação mostrou que seu fim não está próximo.
Foto: Thalles Mascarenhas

  Assim como a segurança, limpeza e organização a Cultura Brasileira foi exaltada com maestria digna da medalha de ouro. Todos os turistas que passaram por aquela região levaram um pouco do Brasil, suas culturas, seus gostos e costumes podendo ser destacado como o maior legado cultural dos Jogos Rio 2016.

Nenhum comentário :

Postar um comentário