22 de novembro de 2016

Peruche participa de mini-desfile em comemoração ao dia da Consciência Negra

Nenhum comentário :
A escola de samba Unidos do Peruche, ao lado de outras cinco agremiações coirmãs, levou um pouco do seu ensaio pré-Carnaval 2017, que acontecem todos os domingos na quadra social da escola, para o Largo Paissandu, centro da capital.
Além da comemoração do Dia da Consciência Negra, as apresentações marcaram o
encerramento das comemorações dos 100 anos da gravação em disco do primeiro samba no Brasil chamado “Pelo Telefone”, dos compositores Donga e Mario Almeida. 
Foto: Itamar Chagas


Por aproximadamente 30 minutos, mais de 200 componentes da Unidos do Peruche desfilaram nas ruas do centro da cidade. A escola deixou a concentração em frente à Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, do Largo do Paissandu, passando pela Avenida São João e finalizando a apresentação próximo à antiga Agência dos Correios, no Vale do Anhangabaú. A Filial do Samba iniciou o cortejo após a coirmã Vai-Vai. Participaram também as escolas: Nenê de Vila Matilde, Mocidade Alegre e Rosas de Ouro.

Ficamos muito honrados em participar dessas importantes comemorações. E a Peruche, neste Carnaval, exaltou o centenário do samba no enredo 'Ponha um pouco de amor numa cadência e vai ver que ninguém no mundo vence a beleza que tem o samba…100 anos de samba, minha vida, minha raiz', então tínhamos que estar aqui neste momento histórico e emocionante que é trazer o samba para o povo na rua”, afirma o diretor geral, Ednaldo Francisco Santos. 
Foto: Itamar Chagas


A agremiação contou com a presença de mais de 100 ritmistas da Bateria Rolo Compressor, comandada pelo mestre Cassiano Vinícius Pereira (mestre Call) e levada pela rainha Stephanye Cristinne, que empolgou o público com muito samba no pé e seu sorriso contagiante. A Ala Musical marcou presença com todos os músicos, liderado por Toninho Penteado, intérprete oficial, além do segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira que conduziu o pavilhão da escola.

O coreógrafo da Comissão de Frente e idealizador da Ala Samba-Cênico, Régis Santos, participou com o elenco de 30 pessoas da comissão que foram fantasiadas e desenvolveram a coreografia criada para os ensaios de quadra. Os 20 participantes da ala teatralizada vieram no meio do desfile.

A emoção ficou por conta da passagem das Alas da Velha-Guarda e Baianas que usaram o belíssimo figurino do desfile deste ano representando as mães-de-santo dos terreiros de candomblé. Destaque para o 'Rei dos sambistas de São Paulo 2016', o passista André Rosa, que também esteve presente no evento à frente da Ala dos Passistas. 
Foto: Itamar Chagas


Nenhum comentário :

Postar um comentário