2 de fevereiro de 2017

FOLIA NOS BARRACÕES: Terceiro Milênio vê nos símbolos o trunfo para ir ao grupo especial

Nenhum comentário :
Na nossa série de barracões hoje temos a escola de samba Estrela do Terceiro Milênio. O Carnavalesco Eduardo Félix nos recebeu em seu barracão mostrando o que a agremiação levará para a avenida.

O enredo sobre os símbolos surgiu através da porta bandeira. O carnavalesco viu nela o pavilhão, símbolo maior da agremiação. Pesquisou e viu que o tema era extenso e daria um belo carnaval. Os símbolos são mensagens através dos sonhos do ID para o EGO, esse foi o desfecho do enredo.
Foto: Alex Sandro Gardel

O DESFILE
A abertura da escola começa com uma luz, a comissão de frente seguida da bateria, representando Freud, e logo depois o abre alas. O primeiro carro da escola vem com três civilizações. Na parte de baixo o Egito, em cima a Índia e no meio a Grécia, pois foi aonde o símbolo surgiu. Os gregos faziam reunião aonde quebravam pedra de ardósia no final das reuniões e no dia seguinte cada uma levaria a sua pedra para montar um "quebra cabeça" e isso é o símbolo maior de fortalecimento desse grupo. O nome da escola vem nas mãos da Deusa Durga, a deusa da sabedoria que tinha 8 braços.

O segundo setor representa os símbolos e identidade de um povo. Os Estados Unidos é a super potência do mundo e sua bandeira vem retratada nessa alegoria junto com a Estátua da Liberdade e a Águia Norte Americana. É o carro aonde vem as passistas da escola.
Foto: Alex Sandro Gardel
O Terceiro setor é o da Magia, Ocultismo, Astrologia e horóscopo. O carro contém calendário, magos, castelo de bruxa mas tudo no lúdica, divertido. A coruja, que é o símbolo da escola, vem atrás desse carro.

Na quarta alegoria estão os símbolos dos seres fabulosos. Na parte de baixo a água com Cila, o monstro de seis cabeças. No meio a terra  com Cérbero cão de 3 cabeças e em cima o ar com um unicórnio nas nuvens.

Fechando o desfile a escola traz uma segunda comissão de frente, nela estarão os símbolos contemporâneo, como o pavilhão da escola, um troféu representando a vitória entre outros.

CRISE
Após o carnaval muitos materiais podem ser reaproveitados para o ano seguinte, com o carnavalesco Eduardo Félix não foi diferente. " Quando acaba se retira tudo da alegoria e vai guardando, sobras de fantasia, de roupas, placas. Esse ano tive uma saída muito barata que foi o papel bombom, ele rende 4 metros quadrados. Uma alternativa econômica e que dá um efeito muito bom", revelou o carnavalesco.

CURIOSIDADE
Uma outra saída foi um ponto essencial para o carnavalesco, ele revelou que achou numa caçamba de lixo um material diferente, parece uma linha mas não é. " Aproveitei eles de forma tremenda, eles formam a barba dos magos e outras coisas que poderão ser vista no desfile, quando achei trouxe 4 sacolas para o barracão".

Foto: Alex Sandro Gardel

MARCA
Todo carnavalesco possui uma marca registrada mas Eduardo não consegue ver a sua e diz que tenta a cada ano se renovar. "No pós carnaval tento ver o que que aconteceu com a escola , leio as justificativas de cada jurado, tento apagar tudo que aconteceu e começar do zero, novos projetos, novos desenhos".

PONTO FORTE

O carnavalesco destaca o seu ponto forte do desfile a sua comunidade somada com sua equipe. "Depois do carnaval de 2014, nossa comunidade vem se fortalecendo, ta sendo feito um bom trabalho na quadra e a minha equipe atual é a melhor que já tive.  O engajamento da comunidade com o aprimoramento da minha equipe serão o ponto forte do desfile"

A Estrela do Terceiro Milênio abrirá os desfiles do grupo de acesso no carnaval de São Paulo. A escola que é presidida por Gilberto Rodrigues trará o enredo "Para bom entendedor um pingo é letra e o símbolo é mais que uma palavra " assinado pelo carnavalesco Eduardo Félix.

Fotos: Alex Sandro Gardel 





Nenhum comentário :

Postar um comentário