18 de junho de 2017

Sinopse do enredo Jardim Bangu 2018

Nenhum comentário :
“ENCANTARIAS DE UM REI. A LENDA DE DOM SEBASTIÃO”

APRESENTAÇÃO DO ENREDO

Em 2018, o GRES Acadêmicos do Jardim Bangu irá desfilar na Intendente Magalhães a saga de Dom Sebastião, Rei de Portugal elevado a condição de Monarca aos três anos de idade. Iremos focar nossa apresentação na ambição imperialista que consistia em conquistar não somente o Império marroquino, mas também invadir, mar adentro, o Egito e destruir o poder do sultão da Turquia.

Mas, os planos de Dom Sebastião, aquele que dera continuidade à Dinastia dos Avis em Portugal pararam na batalha de Álcacer-Quibir. Cristãos de um lado; muçulmanos de outro.  Onde foi parar o Rei? Durante o entrave, D Sebastião desaparece. O Rei estava, literalmente, perdido! Momento sombrio na história de Portugal! Mistério tortuoso para o povo português!

Vamos traduzir em nosso desfile esse Rei que saiu da história oficial para entrar nas crenças e lendas de vários povos, inclusive do povo brasileiro. Pelo menos é o que garante o povo do Maranhão, verdadeira Terra das Encantarias. Encantarias estas que sobrevivem debaixo das águas dos lençóis maranhenses até os dias atuais.

Entre todas as formas de expressão popular do ressurgimento de Dom Sebastião em terras brasileiras, iremos dar destaque ao touro encantado que segue a espera de algum corajoso que liberte o Rei de tal maldição. No fundo do mar ou embaixo das dunas, o que importa é que o Mito, a Lenda e a História não morreram com o adiantar o tempo. Muito pelo contrário! O Rei de nossos patrícios ganhou memorial no Maranhão.

A Comunidade do GRES Acadêmicos do Jardim Bangu irá oferecer ao lendário Sebastião a mais bonita homenagem recebida e que será devidamente perpetuada no jardim de nossa memória, pintada em verde e vermelho pelo Leão da Zona Oeste.

Que nossa Comunidade da Zona Oeste brade aos quatro cantos a herança cultural de nosso povo! Salve Dom Sebastião! Salve a Jardim Bangu que traz para todos vocês um oceano de riqueza cultural a desaguar na Intendente Magalhães, palco onde brilha o mais genuíno sambista.

Venha desbravar esse oceano de riquezas com a Caçulinha de Bangu em 2018!

SINOPSE


DE REI DESEJADO A REI PERDIDO

O Reino de Portugal precisava continuar conduzido por um português legítimo. Esse era o pensamento de toda uma nação após o falecimento do Infante Dom João. Todas as igrejas lusitanas, bem como as freguesias, se colocaram em oração constante, num suplicar ao divino para que a criança em gestação no seio da viúva do infante fosse um varão.

Preces atendidas! Nasce o menino desejado por todo um país e ele recebe o nome de Sebastião que quando completara 14 anos de idade inicia a sétima Dinastia dos Avis.

Dom Sebastião era Católico fervoroso. Doutrinado por Jesuítas, quis expandir a fé católica no Norte africano, conseguindo assim que toda a roda do planeta girasse em torno da fé católica.

Sua ambição consistia em conquistar não somente o Império marroquino, mas também invadir, mar adentro, o Egito e destruir o poder do sultão da Turquia.

Antes de viajar para a África, toma sua ultima refeição na mesa de granito instalada no jardim do paço de onde observava todo o leito do Tejo, em total controle da entrada do país, sempre ameaçado por invasão durante seu reinado.

Navios ao mar! Tem início a Batalha de Álcacer-Quibir…

Cristãos de um lado; muçulmanos de outro.  Onde foi parar o Rei?

Durante o entrave, Dom Sebastião desaparece. O Rei estava, literalmente, perdido!

Momento sombrio na história de Portugal!

Mistério tortuoso para o povo português!

Só temos a certeza do sangue que jorrou no deserto…

O Rei sai da história oficial para entrar nas crenças e lendas de vários povos.

RESSURGE O REI…LENDÁRIO

E não é que Dom Sebastião veio parar no Brasil…

Pelo menos é o que garante o povo do Maranhão, verdadeira Terra das Encantarias.

Encantarias estas que sobrevivem debaixo das águas dos lençóis maranhenses até os dias atuais.

Reza a lenda que Dom Sebastião ao chegar ao nordeste brasileiro passou a habitar um Palácio submerso de incontáveis riquezas. Muitos moradores chegam a afirmar que o monarca fixa residência nas profundezas da duna mais alta da Ilha dos Lençóis.

É na praia dessa Ilha que muitos o vêem nas noites de Lua cheia…

Sob a forma de touro encantado segue a espera que algum corajoso o liberte da maldição. Para tal, basta que alguém seja capaz de ferir a estrela dourada em sua fronte…

Quem garante ter visto o Touro afirma que coragem não faltou, ôxe. Só não acabaram com a maldição por receio da capital São Luiz desaparecer e em seu lugar surgir a Cidade Encantada de São Luiz.

No fundo do mar ou embaixo das dunas, o que importa é que o Mito, a Lenda e a História não morreram com o adiantar o tempo.

Muito pelo contrário! O Rei de nossos patrícios ganhou memorial no Maranhão.

E hoje ganha sua mais bonita homenagem no jardim de nossa memória, pintada em verde e vermelho pelo Leão da Zona Oeste.

Salve Dom Sebastião! Viva o Sebastianismo! Salve o Touro Coroado! Salve a herança cultural de nosso povo!

Salve a Jardim Bangu que traz para todos vocês um oceano de riqueza cultural a desaguar na Intendente Magalhães, palco onde brilha o mais genuíno sambista.

PESQUISA E SINOPSE
Tom Santos e Michel Grillo

BIBLIOGRAFIA:
Roriz, Aydano. O desejado: A fascinante história de Dom Sebastião.
Barroqueiro, Deana. Dom Sebastião e o vidente.
Peixoto, Sebastião; Franco Amante, Carolina. Dom Sebastião.
Marques, Wilson. A lenda do Rei Sebastião e o touro encantado.

Nenhum comentário :

Postar um comentário