25 de julho de 2017

Emoção e muito samba marcam lançamento de enredo no Arrastão de Cascadura

Nenhum comentário :
Em clima de festa, com presenças ilustres e muitas homenagens. Foi assim que, neste domingo, 23 de julho, o Arrastão de Cascadura lançou oficialmente o seu enredo para o carnaval 2018.

Tema da escola para o próximo ano, o produtor musical e radialista Chico Frota, foi muito aplaudido pelo ótimo público que prestigiou o evento.

A bateria da verde e branco sob o comando Mestre Leozinho deu um verdadeiro show, junto com o intérprete Alexandre Português e a tradicional ala de passistas da agremiação, dirigida por NegraLu.


Outras escolas também marcaram presença abrilhantando ainda mais a festa. A Lins imperial veio representada pelo intérprete Tinguinha, casal de mestre sala e porta bandeira, e diversos componentes da harmonia e velha guarda da verde e rosa.

A recém criada Guerreiros de Jacarepaguá também prestou homenagem à Chico Frota com a entrega de uma placa comemorativa das mãos do presidente da agremiação, Alexandre Valle. Foi o primeiro evento oficial da Guerreiros após a fundação. 

Diversas personalidades do mundo do samba também marcaram presença como o diretor Marquinho Harmonia e a Porta Bandeira da São Clemente, Monique Lamour. 

Finalizando em grande estilo a festa, os carnavalescos do Arrastão de Cascadura, Alexandre Devecchi e Fabrício Amaral, apresentaram oficialmente o logomarca e o título: "Chico Frota! Na freqüência desse som..."

Após o anúncio, a sinopse também foi distribuída para os presentes e estará disponível na quadra da escola e nas redes sociais. A entrega dos sambas será dia 07 de outubro e a disputa será aberta para todos os compositores.

O presidente do GRES Arrastão de Cascadura, Lucas Conceição, ressaltou o clima de alegria e a confiança para realizar um grande desfile. " Este enredo nos uniu ainda mais para buscar esse título, afirmou o presidente.

O Arrastão será a décima primeira escola a desfilar no domingo de carnaval na passarela da Intendente Magalhães pelo grupo D.

ENREDO:CHICO FROTA! NA FREQUÊNCIA DESSE SOM.

INTRODUÇÃO
Sob o signo de aquário, ao vigésimo sexto dia de janeiro, a vida nos brindou com o nascimento de Francisco Octavio de Veríssimo Frota. Para os outros,“Bidoca” ou, quem sabe, Chiquinho. Para nós, Chico Frota.
Descendente de um lar guardado pela águia altaneira portelense e recebedor de influências do mundo do samba, desde seu padrinho Tarcio Santos (quem lhe apresentou o mundo do carnaval), passando pelos radialistas Edson Jorge (In Memorian) e Miro Ribeiro, até seu irmão Wigder (quem o levou pela primeira vez na Marquês de Sapucaí). Tal mistura não poderia acabar em outra coisa que não fosse carnaval.
Seu orgulho maior é encontrado na figura de sua avó (Nadeje de Assis Frota) que foi bordadeira da primeira fantasia de destaque do carnaval carioca.
Em sua trajetória profissional, a música já pulsava em suas veias. Das baladas na noite carioca, até os grandes eventos de Chico Recarey, seu nome começara a despontar.
Mas nada lhe dá maior satisfação que o carnaval e o contato com o público.
Principalmente quando o assunto são os desfiles na Intendente Magalhães.
Produtor musical dos cds dos grupos de acesso do carnaval carioca, sua estreia nesse segmento se dá ao gravar, no ano de dois mil e três, um cd possuidor de nove faixas com hinos do Berço Dourado do Samba (GRES. Paraíso do Tuiuti).
De lá pra cá, seu caminho foi bordado pela produção e coordenação musical de diversas agremiações.
No lugar do coração há uma cruz de malta, onde três escolas fazem morada: Império do Marangá (hoje extinta), São Clemente e Unidos do Jacarezinho.
Porém, seu grande amor seria o próprio carnaval.
E foi naquela maternidade, no bairro de Campinho, onde tudo começou…
Do seu nascimento à folia de Momo, palco dos desfiles de acesso B, C, D e E.
Em suas palavras, ali é o verdadeiro carnaval do povo; Mais precisamente na Avenida Intendente Magalhães.
Na premiação do Carnaval com Sambanet, até lado a lado na “Arquibancada” com você. Nada mais justo que tamanha homenagem seja cantada em verso e prosa, refletindo todo seu “bom humor” aos ouvintes de nosso país.
O que para uns seria crítica, para outros ranzinza, para nós é virtude. Virtudes de seriedade, compromisso e profissionalismo, mascaradas na personagem fictícia criada para entreter e animar seus ouvintes.
Vale até humorizar, assessorando a carreira brilhante de Lilica Afonso Frota, junto às personalidades artísticas do país.
Satisfação maior não há, em poder decantar tua vida no teatro popular…
Onde a ribalta é iluminada pela lua e as estrelas do céu…
Verdade nua e crua , que rasga o véu…
Na fé de Jorge guerreiro, levando samba ao mundo inteiro…
Nas ondas do rádio falar…
E com isso poder curtir, sambar, “Chicofrotear”…
Da regência de aquário o dom…
Chico Frota vem aí… Na frequência desse som!
Pesquisa: Alexandre Devecchi e Fabrício Amaral
Texto: Alexandre Devecchi
SINOPSE
Dos mestres de sua vida, o caminho do carnaval !
Tributo estimado de orgulho sem igual.
E na maternidade de Campinho, exclamava a enfermeira:
Nasceu um “Bidoquinha”! Em plena quarta‐feira.
Hoje, nosso Arrastão eterniza você com seu sapinho,
Dá nó na madeira, trazendo flores sem espinhos.
Sob o signo de aquário, lá no céu já estava escrito,
Criado em ninho de águia portelense, refletia seu destino.
Mas foi da coroa imperial seu orgulho maior,
Da bordadeira do primeiro destaque, no caminho o que há de melhor.
Nas noites cariocas, o “DJ” entra em cena,
Em produções musicais, o samba virando poema.
Nas ondas do rádio sua voz ecoa,
Na “Arquibancada” com você, o Carnaval ressoa.
Levando a cruz de malta no lugar do coração,
Império do Marangá, sua mais nobre emoção.
Normal é ser diferente, do lado esquerdo do peito guardado está São Clemente.
Carinho especial, com toque de samba no pé,
Rosa e branco é carnaval, do suburbano Jacaré.
Entre “Intendentes” e “Magalhães”,
No palco que melhor lhe apraz.
Entre noites e manhãs,
Folia com sabor de paz.
Tendo amor pelo Carnaval popular,
Curtir, sambar, “chicofrotear”…
Contar sua vida em poesia, musicalmente, em verso e prosa,
Com as bênçãos de seu santo guerreiro, nossa homenagem valorosa.
Laurel de emoções, eternizado pra valer.
Hoje, Chico Frota, o Sambanet é pra você!
Pesquisa: Alexandre Devecchi e Fabrício Amaral
Texto: Alexandre Devecchi
ATENÇÃO AS DATAS
29/07/2017 – Explanação sobre o enredo ‐ 15 h.
16/09/2017 – Tira dúvidas sobre o enredo ‐ 14 h.
07/10/2017 – Entrega dos sambas concorrentes (*vide regulamento da agremiação)
Local: Quadra do GRES Arrastão de Cascadura
INFORMAÇÃO
Há palavras e nomes em nossa introdução e sinopse, que talvez não seja de fácil percepção e entendimento.
Foi pensando em ajudar a você compositor, que nos brindará com sua obra em nossas eliminatórias, onde escolheremos o hino oficial do carnaval de 2018 da nossa querida
GRES Arrastão de Cascadura, que explicaremos num pequeno glossário tais palavras.
GLOSSÁRIO
BIDOCA – Exclamação da enfermeira após o parto de Chico Frota. “Nasceu um Bidoquinha!”
CHIQUINHO – Apelido de colégio, que se perpetuou por toda a sua vida acadêmica e nos momentos de lazer, como nas peladas (futebol) com amigos.
CHICO FROTA – Nome artístico de Francisco Octavio de Veríssimo Frota.
LILICA AFFONSO FROTA – Um sapinho de brinquedo que Chico Frota leva consigo e brinca com as personalidades. Maiores informações em: www.facebook.com/lilicaaffonso.frota
SAMBANET – Site de informações sobre o mundo do carnaval e nome da premiação aos melhores do ano deste mesmo segmento.
“ARQUIBANCADA”– Referência a rádio Arquibancada, cujo um dos proprietários é o nosso homenageado.
“CHICOFROTEAR” – Utilização do nome Chico Frota, junto a aplicação do gerúndio da língua portuguesa. Brincadeira feita por nós carnavalescos, para expressar a entrega do homenageado ao carnaval da Intendente Magalhães.
RECOMENDAÇÕES AOS COMPOSITORES
Prestem atenção a sinopse fornecida, pois ela será nosso viés para as produções musicais elaboradas por vocês.
Nosso enredo não faz menção a orixás, portanto, não seria cabível em nossa letra possuir tais citações.
Em nossa sinopse citamos São Jorge, logo, não há o sincretismo com a figura de Ogum ou qualquer orixá. Com isso, São Jorge é São Jorge e pronto.
Vale à pena lembrar, que o local de nascimento (bairro de Campinho) de nosso homenageado, é o mesmo local onde ocorrem os desfiles dos grupos B, C, D e E.
Evitem críticas sociais.
Deixe o lado poético de cada parceria fluir.
Contudo, gostaríamos de agradecer as parcerias, pela oportunidade de nos brindarem com suas composições, na certeza de que a melhor será nosso hino representante no carnaval de 2018.
Boa Sorte a Todos!
Alexandre Devecchi e Fabrício Amaral

Nenhum comentário :

Postar um comentário