19 de julho de 2017

PROSA DO FOLIA: Sidnei França, carnavalesco dos Gaviões da Fiel

Nenhum comentário :
Para 2018 ele chega na maior torcida organizada do Corinthians com a missão de falar sobre "Guarus", quer saber mais sobre o enredo, carreira e muito mais sobre esse artista ? Hoje é dia de Prosa do Folia com Sidnei França, carnavalesco dos Gaviões da Fiel ?




Quem é o Sidnei França  ? 
- Sidnei França é um jovem carnavalesco, rapaz que desde criança sempre gostou e amou o carnaval e hoje consegue do seu jeito, da sua maneira, um caminho para materializar, criar, desenvolver tudo que um dia viu e se deslumbrou. Feliz por fazer o que gosta, de trabalhar no carnaval, de atuar no cenário que sempre foi um sonho, algo que parecia distante, apesar de ter sempre envolvido na infância e adolescência na Mocidade Alegre, ao mesmo tempo  trabalhar e atuar como carnavalesco sempre foi um sonho tanto como incerto e hoje é realidade. Me defino como uma pessoa feliz por amar o carnaval e deixar minha contribuição a essa cultura que sempre guardei com tanto valor na minha alma e no meu coração. Sou Paulistano nascido na Casa Verde, onde moro ate hoje, levado para o samba pela minha mãe e amigos de infância para a Mocidade Alegre, da escola que comecei como sambista e lá aprendi muito não só sobre o carnaval mas sobre a vida. Lá que eu aprendi tudo que hoje eu desenvolvo, desde a criação de um enredo como conhecimento materiais. Também estão na Mocidade pessoas que são muito próximas, pessoas em momentos de saúde , doença, vida pessoal estiveram comigo, pessoas que sou padrinho de casamento mas como todo filho que cresce e desenvolve eu também precisei ganhar o mundo para adquirir conhecimento, outros formatos, experiências e tudo tem sido muito rico. Eu hoje sou uma pessoa que passou por varias situações na vida e mudei, hoje tenho um temperamento muito equilibrado, procuro ter precisão no planejamento, me organizar bastante, para que nada fuja do contexto mas sempre respeitando o próximo. Procuro não ser só um líder no barracão mas motivar as pessoas, já passei por isso também e procuro ser sempre uma referência de uma gestão humana, lidar com equilíbrio, resultado, humanidade e respeito ao próximo.

Como começou a sua relação com o carnaval ?
- Começou na primeira infância, eu com dois anos de idade frequentava os ensaios da Mocidade Alegre com amigos, vizinhos,lembro do seu Valdir que hoje é da velha guarda da Morada, que eram muito atuantes, a partir dai peguei gosto pelo carnaval e pela mocidade. Minhas primeiras lembranças de infâncias são de primos, mãe e o próprio vizinho Valdir, bordando, lantejoulas vermelhas e placas de acetato branca,naquela época era diferente, as próprias pessoas faziam suas fantasias, essas lembranças estão no meu pensamento e na minha memória, ai desenvolvi esse gosto. Meus tios me levaram para ver a Peruche, desde a infância isso só foi crescendo, via desfiles pela tv fascinado, aos 8 anos fui ver o primeiro desfile na avenida Tiradente e la eu me apaixonei definitivamente pela Mocidade Alegre. Quando criança com primos cada um tinha uma brincadeira e eu queria brincar de escola de samba, fazia cada um escolher uma escola e desfilar rs, assistia os desfiles na tv  e eu mesmo dava as notas no caderninho, fazia minha própria apuração rs isso que me deu suporte para futuramente ingressar nessa carreira.


Por quais escolas você já passou ?
- Iniciei na Mocidade Alegre como sambista, fiz parte de  ala, diretor de eventos, diretor cultural e carnavalesco, em 2016 fui para desenvolver o carnaval 2017 da Vila Maria uma escola querida que eu não conhecia e aprendia a gostar e ainda recebi um presente que foi o enredo dos 300 anos da aparição da Nossa Senhora de aparecida e atualmente Gaviões da Fiel, uma escola que me acolheu com muita boa vontade e to sendo muito feliz, trarei o enredo Guarus, indígena, baseado na mitologia tupi guarani que explica a origem do nome que gerou Guarulhos, cidade metropolitana de São Paulo.

Em 2018 você estará na Gaviões da Fiel, como surgiu o convite ?
- Surgiu logo após eu anunciar meu desligamento da Vila Maria, e fiquei bastante surpreso e feliz. Como sambista conheço a grande história da Gaviões da Fiel desde a época de blocos, a agremiação apresentou um grande crescimento, foi responsável pelo alavancamento das estruturas das alegorias, carros bem acabados e oponentes e desfile bem luxuosos e vistosos alem de grandes sambas. Recebi o convite com bastante alegria também pelo fato de ser corintiano, hoje poder assinar o carnaval da maior torcida do clube, que é uma das minhas paixões,tudo isso junto me deu um sentimento satisfatório de poder integrar essa história que é incrível e tem uma força imensa.

O anúncio do enredo foi algo que alegrou os torcedores da Gaviões, teve um retorno muito bom, isso se torna uma pressão maior para desenvolver o desfile ?
- O enredo teve uma aceitação muito positiva principalmente pelos integrantes da escola, não vejo que isso aumente a responsabilidade, quando ele foi projetado, ele já tinha esse viés de ser para uma escola que por si só já é quente, já tem personalidade, as coisas só se completam. É um enredo para motivar e impulsionar a escola, a aceitação não foi um fator inesperado nem surpresa, essa valorização tem que ser no aspecto de acrescentar, não de pesar ou aumentar a responsabilidade.


"É um enredo para motivar e impulsionar a escola"

De onde vem inspiração para enredos autorais ?
- A inspiração vem do meu gosto pela história, pesquisas e assuntos que envolvam a humanidade. Os temas que desenvolvo são todos de um viés humanistas muito forte. O enredo do espelho por exemplo, o espelho é apenas um objeto mas eu coloquei ele como algo que reflete a alma humana, temos outros como ilusões, o riso, a padroeira do Brasil e agora Guarus na Gaviões. Esses enredos vem do meu gosto pela humanidade, o funcionamento humano, normalmente são bem aceitos pelas escolas porque traduzem a necessidade da sociedade atual, que é aproximar uma pessoa da outra, vivemo numa sociedade muito individualista. Quando falamos de origem, raiz, são questões importantes para que a gente saiba da onde viemos e o que preparamos para o nosso futuro.


Você é carnavalesco mas o samba no pé, você tem ?
- Sim sim, tenho samba no pé sim, com certeza, a gente da conta do recado rsrs

Você tem alguma inspiração no samba ?
- Tenho várias inspirações no samba, muitos sambistas, grandes nomes, alguns eu tive a felicidade de conhecer e compartilhar conhecimento. Destaco o Juarez da Cruz que é muito do pouco que eu sou hoje e isso eu devo a ele, pelos conselhos , pelos ensinamentos, as tarde que eu passava na casa dele conversando cobre carnaval, carnavalesco e a Mocidade Alegre, com ele eu aprendi demais, um nome que ficou para eternidade. Também destaco o Joaosinho Trinta que é o pai do todos os carnavalescos atuais no sentido de criar esse delírio fascinante que é contar uma história que nem sempre é verdadeira mas é fascinante no campo do "altar dos intocáveis", destaco o Joaosinho Trinta. 

O que o carnaval mudou em sua vida ?
- Sem exagero nenhum mudou tudo em minha vida, antes eu era uma pessoa que tinha um trabalho fora carnaval, com horários predominados e o carnaval mudou toda a minha rotina. Sair de uma vida digamos formal corporativa para uma vida criativa e livre de horários, até minhas relações, meu grandes amigos e pessoas que eu me relacionei e me relaciono são do carnaval, pessoas da minha família passaram atuar no carnaval por influência minha. O carnaval  mudou os paradigmas, os parâmetros e os projetos. 

O que podemos esperar da Gaviões em 2018 ? 
- Um desfile bastante arrojado no sentido de soluções estéticas que dê vazão a um tem humanista, rica antropologicamente falando, um desfile tanto quanto poético e emotivo. A escola vai conseguir absorver esse padrão que tô buscando no preparo desse novo carnaval. Estou na expectativa de um bom samba para que a escola possa unir a plástica com um chão mais quente, um samba que embale a escola e que as pessoas consigam entender a proposta a história do enredo. Temos um enredo bem costurado no sentido de começo, meio e fim, buscamos causar uma emoção com aquela resposta que a Gaviões sempre busca nas arquibancadas, que não dure apenas 3 minutos e sim todo o desfile.

Deixe seu recado aos internautas do "Folia do Samba" e aos admiradores do seu trabalho
- Quero deixar a todos os internautas do Folia do Samba e quem admira meu trabalho um grande abraço em sinal do meu reconhecimento e respeito, pelos votos de confiança que depositam em mim, sempre recebo créditos de apoio, incentivo e isso é muito importante. Não somos uma ilha, precisamos de pessoas que nos ajude, são pessoas que são companheiras do nosso trabalho. Também agradeço a diretoria da escola que nos dá todo o suporte necessário, todo meu apoio e acolhida que recebo nas redes sociais e pessoalmente. Que todos os sambistas ligados no Folia do Samba tenham uma carnaval 2018 mágico e que possam se sentir orgulhosos.


Nenhum comentário :

Postar um comentário