1 de setembro de 2017

Alemão do Cavaco disputa novamente samba na Mangueira

Nenhum comentário :
Depois de ganhar com o samba campeão na Mangueira, em 2016, em homenagem à cantora Maria Bethânia, o músico e compositor Alemão do Cavaco, fundador e integrante do grupo Dose Certa, volta para mais uma disputa na agremiação carioca.

Dessa vez, ele se uniu a outro grande compositor e campeão na Mangueira, Lequinho, além de Júnior Fionda, Gabriel Machado, Wagner Santos, Gabriel Martins e Igor Leal, em uma parceria para a disputa do samba-enredo 2018, “Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco”, que será escolhido no dia 07 de outubro.


Alemão produziu e fez os arranjos da faixa composta por eles, que estará no CD de divulgação dos sambas concorrentes à disputa. Também foi gravado um clipe com a participação de várias personalidades do segmento, como Moacyr Luz, que fez o vocal, além de Neguinho da Beija Flor, Tia Surica, entre outros.

Além dele, o Dose Certa é formado por Serginho Picciani (vocal e pandeiro), Vinicius Almeida (arranjos, contrabaixo e violão de seis e sete cordas) e Jonatas Petróleo (compositor, banjo e voz) e Vitor Da Candelária (percussionista). O grupo lançou recentemente a nova música de trabalho, “Amor demais”.



Autores: Lequinho, Júnior Fionda, Alemão do Cavaco, Gabriel Machado, Wagner Santos, Gabriel Martins e Igor Leal. Intérprete: Tinga. Participação Especial: Moacyr Luz. Chegou a hora de mudar Erguer a bandeira do Samba Vem a luz à consciência Que ilumina a resistência dessa gente bamba Pergunte aos seus ancestrais Dos antigos carnavais, nossa raça costumeira Outrora marginalizado já usei papel barato Pra desfilar na Mangueira A minha escola de vida é um botequim Com garfo e prato eu faço meu tamborim Firmo na palma da mão, cantando laiálaiá Sou mestre-sala na arte de improvisar Ôôô somos a voz do povo Embarque nesse cordão Pra ser feliz de novo Vem como pode no meio da multidão Não... Não liga não! Que a minha festa é sem pudor e sem pena Volta a emoção Pouco me importam o brilho e a renda Vem pode chegar... Que a rua é nossa mas é por direito Vem vadiar por opção, derrubar esse portão, resgatar nosso Respeito O morro desnudo e sem vaidade Sambando na cara da sociedade Levanta o tapete e sacode a poeira Pois ninguém vai calar a Estação Primeira Se faltar fantasia alegria há de sobrar Bate na lata pro povo sambar Eu sou Mangueira meu senhor, não me leve a mal Pecado é não brincar o Carnaval!

Nenhum comentário :

Postar um comentário