6 de outubro de 2017

PROSA DO FOLIA: Alisson Alves, 3º mestre sala da Tucuruvi

Nenhum comentário :
Hoje no prosa do folia é dia de conhecer o 3º mestre sala da Tucuruvi, Alisson Alves 
Foto: Renato Cipriano

Quem é o Alisson Alves ?
- Alisson Alves é advogado, arte educador, pedagogo em formação (Não porque o direito não foi suficiente, mas porque descobriu na educação uma antiga nova paixão), proprietário do KW Centro Artístico, católico apaixonado, noivo da mulher mais linda do mundo e filho da família mais feliz que eu conheço. Tem uma outra porção de coisas que ele é ou espera ser, mas vez em quando o que quer mesmo é não ser mais que um garoto de 23 anos, apaixonado pela vida e na busca por ser alguém melhor pro mundo e pra ele mesmo.
Como começou a sua relação com o carnaval ?
- Desde que me entendo por gente, sou atraído fortemente pela arte. Um dia desses pisquei e me vi no carnaval. No ano de 2006 participei de um projeto chamado "Acadêmicos de São Paulo" dentro da USP, no mesmo ano recebi um convite para ser mestre-sala - ainda mirim - no camisa 12. A essa altura já gostava de estar pelas quadras das escolas de samba, dentre as quais a do coração e mais próxima de casa, a Tucuruvi. Lá conheci a Thais, o Fabiano e o Emerson, que tinham um projeto para formar casais de mestre-sala e porta-bandeira. Participei do projeto no ano de 2007 e com o Emerson e a Thais proporcionando a ocasião, fiz um teste depois do qual o Seo Jamil me convidou para integrar o quadro de casais. Tinha início uma belíssima história de amor.
Foto: Renato Cipriano

Por quais escolas você já passou e qual ano foi o mais marcante ?
- Depois da Tucuruvi, fiz breve passagem pela Unidos de Vila Maria (Como parceiro da Jessica Passos), Estrela do Terceiro Milênio (Em parceria com a Nathalia Bete) e Camisa Verde e Branco (Com a Thalissa Regina). Certamente os meus carnavais marcantes foram os de 2011 e 2012 na Tucuruvi. As duas fantasias que eu mais amo, os sambas que mais ecoam na mente, um o do vice-campeonato da Tucuruvi, o outro o meu desfile tecnicamente perfeito.
Como veio o convite para a Tucuruvi ?
- Bem, na primeira passagem (2007 - 2013) por meio da Thais Paraguassu e do Emerson Nunes, meus padrinhos. Depois de 4 anos longe da Tucuruvi, o presidente, Seo Jamil, me fez um carinhoso e honroso convite para retornar. No Domingo da semana do meu aniversário nos falamos por telefone, na terça-feira seguinte eu pisava novamente na quadra da Tucuruvi, para oficializar este feliz retorno.
Como é a relação com a sua porta bandeira ?
- Eu e a Aryane temos histórias parecidas com a Tucuruvi. Temos nossas infâncias marcadas pela escola, estivemos um tempo afastados e agora retornamos juntos. Já éramos amigos bem próximos antes, hoje nossa amizade vem somar a nossa cumplicidade na dança.
Foto: Renato Cipriano

Já aconteceu algum imprevisto na dança ?
- Demais da conta rs... Pra além dos clássicos tombos, salto e talabarte de porta-bandeira quebrando e costeiros que não chegam na dispersão do mesmo jeito que estavam na concentração, teve um ano que a minha fantasia tinha capa e a barra da capa além de rasgar, ficou entrelaçada nas minhas pernas... O resultado foi quase metade do sambódromo com as pernas amarradas rss.. mas depois que passa a gente ri, ri bastante.
Você tem alguma inspiração no samba ?
- Cresci vendo a Thais Paraguassu, dançando na Tucuruvi (Com o Naldinho, o Fabiano e depois o Emerson). Tive a oportunidade de receber diretamente as influências do Emerson, mas aprendi um bocado observando o Naldinho e o Fabiano dançarem. Todos eles e a Thais são inspirações pra mim. Outros dois grandes homens com quem tive a felicidade de trabalhar no carnaval e a quem eu devo MUITO dentro e fora do universo do samba são Roberto Amaral (in memoriam) e Elias Liah (Diretor de harmonia). Por ultimo, mas com certeza não menos importante, não posso deixar de dizer que descobri também uma imensa alegria em fazer parte de um quadro de casais, em que a frente estão o Kawan e a Waleska. O envolvimento que eles tem com todas as atividades que a Tucuruvi realiza e a parceria com todos os outros casais, fez do meu retorno pra Tucuruvi ainda mais acolhedor. Tenho por eles uma admiração fora de série. Eis aí mais um grande casal inspirador pra mim.
Foto: Alex Sandro Gardel 

O que o carnaval mudou em sua vida ?
- Me fez ter maturidade pra enxergar determinadas situações, desenvolveu minha postura (Tanto física quanto comportamental), aguçou minha visão periférica, me proporcionou momentos marcantes, me deu pessoas muito especiais.
Deixe seu recado aos internautas do "Folia do Samba" e aos admiradores do seu trabalho.

- Em primeiro lugar, parabéns ao "Folia do Samba" pelo trabalho. Conseguir divulgar não só o carnaval, mas atividades culturais em geral no nosso país é uma imensa vitória e saber que temos veículos competentes e dispostos a fazerem isso com amor e dedicação é uma verdadeira alegria. Aos amigos e internautas, não deixem de acompanhar as novidades que vem por aí e o carnaval histórico que a Tucuruvi levará para a avenida no próximo carnaval com o enredo "Uma noite no Museu", um belíssimo projeto, abraçado pela comunidade e assinado pelo mago que é Flávio Campelo. Um grande abraço a todos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário