22 de dezembro de 2017

'Papo Reto com Tiago Linck' - Firma o tambor pra rainha do terreiro

Nenhum comentário :
As heroinas que carregaram e ainda carregam em suas veias, tanto no gênero e na cor, as lutas e conquistas, fizeram-as ganhar uma recontação das suas histórias pela Academia do Samba.De perto histórias que contribuíram para a saga dessas mulheres se tornarem um espírito de força.

Aquela que nutre em seu ventre a fertilidade é chamado de Dinikinesh, dela se fez brotar a história seguindo os passos.


Ela é bíblica, combateu os inimigos, não se curvou diante dos invasores e ainda fortaleceu a cultura e arte. Em outros lugares, elas vão adquirindo qualidades que faz dessas senhoras uma importância e um papel de destaque.É a personificação da autoridade divina, a guardiã que declara fogo contra os inimigos. É ainda auto geradora, doadora da vida, protetora dos falecidos e uma deusa dos sentidos.Ainda é a última cientista, e também a primeira a criar a medicina, uma história que veio sendo percorrida.

É guerreira, é Rainha. Sem elas, homens não iam para frente já se dizia, elas com suas bravuras e garra seguiam.

São senhoras que combateram injustiças, incorporaram nas lutas: valores. Lá no cafundó, é matriarca, a preta que faz o cafuné. São religiosas que no laço de irmandade, fortaleceram as religiões de matriz africanas. Foi a ama de leite do sinhozinho.

São ainda empreendedoras, aquelas que desceram os morros com tabuleiros na cabeça e nos braços, aquela que criou as feiras livres para comercializar seus produtos, aquela que sabe cativar para vender.

Foram alunas que por disciplina dos saberes que aprendeu, foi doutora dos ensinamentos e da cura. A mesma que apaziguar, reverencia as energias de vida. Ela que com os mestres teve dom o da palavra eternizando suas histórias.

Ela é ainda autora negra, guarda valores ancestrais, supera imposições sociais.Acima de tudo, é memória do mundo.Deusa, Rainha,Guerreiras e tantos outros nomes.Porque não? Porque sustenta sozinha toda a prole, seu nome de batismo é luta. Abriga a todos. É bendita, cheia de graça em um céu formoso. Ela é amiga, companheira,na Escola de Samba é a passista, a baiana, porta bandeira.

Senhoras do ventre do Mundo inteiro, alumia o caminho Salgueirense.Essa trajetória antepassada que se desloca até os tempos atuais,reflete a saga das lutas de vocês nessa sociedade. Enfrentam imposições , mas seguem fortes, não deixam se esmorecer.

Ilumina esse canto do Salgueiro para que o caminho seja brilhante de se contar essas histórias marcadas pela contribuição e servirão para mostrar a perseverança de seguir lutando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário