20 de dezembro de 2017

'Papo Reto com Tiago Linck' - Juntando a fome com a vontade de vencer

Nenhum comentário :
Uma aula de culinária temperada com sabores, aromas, tradições e saberes que fizeram a mesa brasileira ser miscigenada. Assim a União da Ilha do Governador faz um resgate atraindo paladares dos foliões e buscando nas raízes ancestrais e em algumas culturas a explicação para sermos bom de boca.

Caravelas ao mar parecendo alegorias por serem enormes, trouxeram de tudo para as terras Tupiniquins. Além de animais, veio muitos temperos que seriam aproveitados por aqui. Esse português veio a oferecer ao índio o que consigo trouxe e o peixe morreu pela boca pois o índio respondeu a ele que em terras Tupiniquins tudo que se planta dá e de fato essa terra por si só já é abençoada.
Foto: Alex Nunes

Nessa história, muita coisa veio parar em terras brasileiras , incorporando um caldo aqui, um tempero de lá , alterando e modificando algumas coisas, essa culinária foi ganhando uma identidade cultural.


No terreiro recheado de ancestralidade e lá se tinha muito, pratos foram se tornando marca registrada no fogo acesso das negras Yabás. Esse povo pôs na sua mesa, a mistura renegada pelos europeus. O negro foi usando a criatividade e a partir disso, fez uma transformação naquilo que lhes serviam.

Ao longo dessa viagem gastronômica , outras coisas vieram parar por aqui, como a paixão nacional: o cacau, chocolate oriundo dele que hoje é prazer brasileiro que se delicia em sobremesas que dão água na boca. Nosso povo até brinca que uns quilinhos a mais com essas tentações são excesso de gostosura. Jeito brasileiro de se tirar de letra o prazer pela comida.

Do sul ao Norte desse país, em cada canto desse lugar, houve uma diversidade e herança gastronômica deixada pelos antepassados, pelos descendentes, pelos indígenas que fomos incorporando a mesa e ao nosso paladar. Dessas terras que saibamos cultivar e arar para que esse solo brote ainda mais o alimento que vai pra nossa mesa.

A Ilha quer ser uma delícia na avenida, um banquete regado a fartura, alegria. Ela preparando a mesa, os foliões fazem a festa para provar o gosto que tem o carnaval insulano.

Nenhum comentário :

Postar um comentário