'Papo Reto com Tiago Linck' - Mas o samba faz essa dor dentro do peito ir embora - FOLIA DO SAMBA

Anuncio No Post

'Papo Reto com Tiago Linck' - Mas o samba faz essa dor dentro do peito ir embora

Compartilhar
Eu sou um filho gerado pelo meu Criador com a missão de vir a esse mundo para transmitir amor e outros sentimentos que eu possa distribuir. Porém vim em retalhos, completamente deformado nessa experiência e fui renegado por aquele que me criou.Dessa experiência carreguei um peso que não competia a mim pois mal sabia quem eu era na verdade.

Nesse anos todos, fiquei enclausurado numa espécie de prisão destinada a mim por um fracasso mal sucedido e hoje carrego as dores que me atribuem.Eu sou filho, assim como os outros meus irmãos que hoje carregam nas suas costas a dor e as marcas por serem abandonados. O espelho invertido se virá e hoje pedras nos são atiradas por ser diferentes, por não sermos iguais, por não possuir as características que eles gostariam. Um peso sobre minhas costas impossível de carregar, mas carrego porque sou guerreiro e isso me faz seguir firme e forte, mesmo que eu tenha que enfrentar uma avalanche de julgamentos que venham pela minha frente. Sou mais um filho abandonado dessa Pátria, agora me julgam por não compactuar com os mesmos conceitos e pensamentos que eles. Isso me deixa mal, mal de verdade, mas de não seguir essa igualdade de pensamentos e nem tenho até porque não somos iguais.
Foto: Eduardo Hollanda

A medida que isso evolui, ao redor, cresce uma sociedade e essa é a força maior que eu tenho que enfrentar. Essa bate, bate mesmo até o mais corajoso cansar, de cair tantas vezes e as vezes nem conseguir se levantar. Essa sociedade possui uma coisa consigo, pensamentos que atravessaram as marcas do tempo e vieram enraizados com o passar dos anos e para ela causa estranheza, até entendo. Nessa “Selva de Pedras”, cercada por diversos conceitos, o estranho ganha um julgamento muito pesado, um tiro que vem em sua direção capaz de destroçar em apenas um segundo.Estamos nela, vamos ganhando os caminhos que temos que percorrer para ganhar nossos espaços, incluirmos por direito nela , mesmo que as forças opressoras tente nos afastar.


Ao meu redor, ninguém estende a mão a quem precisa, sigo olhando e nada. Não consigo entender porque esse descaso. Vago pelas ruas e vejo coisas tenebrosas. Meu Deus
o que está acontecendo. Será verdade o que presencio? Nossa sociedade doente nos julgando e condenando, incapazes de nos estender apenas a mão.O reflexo me mostra mais ao lado, templos colossais profetizando fé, e eu não posso nem me aproximar. Meu Deus! É tanta tortura para esses filhos. Ao mesmo tempo, vejo engravatados rindo, isso mesmo, homens de terno e gravata zombando de nossas caras. Em seus olhos queria ver a esperança, mas ela é sucumbida pela ganância que seus olhos revelam.Quanto sofrimento! Só isso que presencio até agora. Vejo de relance a alegria, agora posso ao menos tentar sorrir.Tambores aos montes mostram uma força imbatível e nela que vou me arragar por um tempo. A alegria por enquanto está aqui, mas já vejo uma sombra negra invandindo esses lados de cá. Mesmo assim, vejo irmãos ali cantando no ecoar do tambor e aos prantos uma crítica para todos nós. Vejam, alguém vai dar voz a nós que estamos sofrendo, a nós que somos marginalizados, nós que somos segregados por sermos assim. Tanta dificuldade há de vir pela frente, mas esse povo que vejo vai estar todo lá mostrando suas forças que tem. Minha dor vai embora, não sei por quanto tempo, mas deve voltar brevemente porque vivemos todos juntos e assim terá que ser mesmo não aceitando nós que somos filhos dessa Pátria, irmão de vocês mesmo, irmão deles também.

Diante de tudo que se possa imaginar, será que existe SALVAÇÃO? Estão nos roubando e nos tirando tudo que é nosso por direito. Esse mundo poderia ser mais humano se simples pensamentos não fossem ignorados como muitos fazem. De todos cito alguns: AMOR, esse está cada vez mais difícil de se encontrar. Segundo, TOLERÂNCIA. Tão impossível de encontra-lá pelas ruas e por onde andamos. RESPEITO: Tá morando bem longe das pessoas.ESPERANÇA: Cada vez que meus irmãos procuram, se decepcionam quando a encontram. CULTURA: Retirada a força, mas sobrevive porque meus irmãos e filhos lutam por ela.Sendo assim estão cobertos pelo: DESCASO:Os olhos estão vendados, as costas sendo virados e o que se tem é uma sociedade que está doente. GANÂNCIA: Vestida pelo preto e branco e trajada, mas também irmãos querendo se passar por aquilo que de fato não são.INJUSTIÇAS:O lado mais fraco tende a ser o alvo.

Os olhos lacrimejam quando tudo de nós está sendo retirado, não se tem mais nada. Nessa Pátria que é regida por um sistema que não atende nossas EXPECTATIVAS, mas de certa forma é dela que devemos CONSTRUIR um novo caminho que terá que partir de nós mesmos, não é ninguém com força na mão que mudará os rumos dessa sociedade e sim de nós mesmos que teremos que nós mexer pois a Pátria não sabe por onde, seus filhos já não aguentam mais e até quando eles aguentarão eu não sei responder...

Do início falei que fui criado, sou criatura criada pelo meu criador, então serei um monstro? Talvez. Meu criador é o monstro? Tenho quase certeza, mas não posso afirmar. Ao mesmo tempo que meu criador é monstro eu também serei um, porque eu também estou deixando simples pensamentos pra trás e olha que sou filho de filho e ataco na mesma proporção que sou ferido. Deve me acovardar? Jamais. Devo seguir lutando mesma que a última esperança não morra e sim renasça sempre, como uma semente que deve ser regada em cada um de nós com o mais puro sentimento que devemos ter com o próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncio No Post