FOLIA NOS BARRACÕES: Império de Casa Verde - FOLIA DO SAMBA

Anuncio No Post

Anuncio Aqui

FOLIA NOS BARRACÕES: Império de Casa Verde

Compartilhar
O tigre guerreiro leva para avenida uma crítica à “desconfortável” situação atual brasileira, na política e na sociedade. O carnavalesco Jorge Freitas desenvolve o enredo "O povo, a nobreza real".

O ENREDO 

Baseado no livro "Os Miseráveis", do francês Victor Hugo, o enredo do Império de Casa Verde é ambientado no fictício país do Reino das regalias. O tema fará alusões aquela sociedade envolta em revoluções e ideais, onde por sua vez repete-se após séculos uma situação similar onde nossos governantes enriquecem-se de forma ilícita aglomerando vasto patrimônio as custas do dinheiro do povo.

SETORES

O desfile é aberto com a comissão de frente encenando as duas faces do reino das regalias e dos miseráveis. Trará a riqueza e soberania do poder da Côrte Real

O primeiro setor é Inspirado no contrate da vida cotidiana entre os nobres a os pobres, o setor “A Selva do Poder”, mostras as injustiças sociais sofridas pelo povo, vítima da ganância e do poder da nobreza.

O segundo setor apresenta um tributo ao povo! Ressalta de uma “Pobreza Real”. Fome, doenças, a miséria de pobres maltrapilhos é concebida plasticamente por uma “Burguesia de Farrapos”, que diante de tantas humilhações, insurge a manifestação popular.


A terceira parte do desfile aborda "O Conflito": o povo insatisfeito enfrenta a nobreza e revolta-se. Na luta contra a miséria, os baús da riqueza são confiscados. O povo toma o poder e em comemoração ergue a bandeira da vitória ao tremular de um sonho na “Bastilha Monumental”.

O desfile encerra com o povo celebrando na Avenida, a vitória sobre o sistema corrupto e opressor da nobreza. Palhaços, Arlequins, Mascarados Foliões, em um “estado de alegria” e da grandeza conquista fazem seu carnaval.

CURIOSIDADES

Banquetes luxuosos em meio à miséria do povo serão retratados no desfile, marcado por personagens como reis, rainhas, padres e, claro, os miseráveis. 


Em meio à ganância e ao poder, começam a florescer os ideais revolucionários que levaram à queda da Bastilha – entenda “Bastilha” não somente como a prisão francesa, mas como nossos desafios diários: fome, miséria, caos social e político.

Presidida por Alexandre Furtado, o Império de Casa Verde será a segunda escola a se apresentar no sábado de carnaval no grupo especial da folia paulistana.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncio No Post