19 de fevereiro de 2018

Liga SP fecha o carnaval e faz um balanço dos 5 dias de desfiles

Nenhum comentário :
Liga SP encerrou a edição do Carnaval SP 2018 com os Desfiles das Campeãs nesta sexta-feira (16 de fevereiro), no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo superando as estatísticas já registradas e conquistando a satisfação do público presente.

Observatório de Turismo e Eventos da São Paulo Turismo (SPTuris) realizou pesquisa durante os cinco dias de evento carnavalesco com mais de 2,2 mil pessoas. 46% do público visitaram o Sambódromo pela primeira vez, e cerca de 70% dos frequentadores do evento demostraram satisfeitos com a organização e consideraram o Carnaval SP 2018 um sucesso.

O Sambódromo do Anhembi recebeu aproximadamente 34% de pessoas fora da capital paulista, registrando um aumento de 66%, o maior índice já registrado no carnaval paulistano. Além disso, 22% dos moradores da cidade receberam pessoas de outras cidades em suas casas devido à temporada de carnaval, um crescimento de 100% em relação ao ano anterior.


Os turistas ultrapassaram os gastos em relação ao ano anterior, de R$957 para R$1.151, para uma permanência de três dias, um impulsionamento de 20%.  Houve ainda um acréscimo de 21% em hospedagem em hotéis, e 11% utilizaram o serviço de hospedagem por aplicativos e sites.

O gasto dos turistas também aumentou, passando de R$ 957 para R$ 1.151 para uma permanência de 3 dias, um incremento de 20% em relação a 2017. A maioria – 21% – ficou em hotéis e 11% utilizaram hospedagem por aplicativos e sites.

Durante os cinco dias de evento não houve qualquer ocorrência registrada pela Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e equipe médica (ambulância).
O presidente da Liga SP, Paulo Sérgio Ferreira (Serginho), considera este “carnaval disputadíssimo. Quem ganhou com tudo isso foi o público. Para nós é um imenso prazer saber que as escolas estão aprimorando cada vez mais. Além disso, não tivemos nenhuma ocorrência, tornando o carnaval cada vez mais seguro. [A entidade] mostrou o seu profissionalismo, o nosso objetivo foi conquistado. Que venha 2019 para que possamos fazer um carnaval gigante”, idealiza Serginho.

A noite das Campeãs
A abertura da grande festa foi com a campeã do Grupo de Acesso 2, Mocidade Unida da Mooca. O presidente da agremiação, Rafael Falanga, disse que convidou “todos os pavilhões para desfilaram aqui conosco na passarela” ecoando o enredo “A Santíssima Trindade de Oyó”, composta por Vítor Gabriel, Dom Marcos, Gui Cruz, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto, e nas vozes de Carlos Jr. e Gui Cruz.

A segunda apresentação foi da vice-campeã do Grupo de Acesso, Colorado do Brás. O presidente da agremiação, Antônio Carlos Borges (Ká), disse que essa edição foi de “um Carnaval de inovação, surpresas e um dos mais competitivos. Tudo por décimo, por detalhes. O nosso diferencial foi o enredo” intitulado “Axé – Caminhos que levam a fé”, dos compositores Marcio Pessi, Edson Daféh, Gilson Caffe, Magrão da caprichosos e Hermes Sobral, e entonação de Chitão Martins.


Na sequência, desfilou a campeã do Grupo de Acesso, a Águia de Ouro.  Segundo o presidente Sidnei Carrioulo Antônio, a agremiação fez “um belo carnaval, tanto plasticamente como tecnicamente, bdentro do critério de julgamento” para contar as histórias do mundo árabe através do enredo “Mercadores de sonhos”, na composição musical de André Luís, Cíntia Camarotto, Digo Sá, Douglas Chocolate, Guga Pacheco e Marcelo Garcia Leal, e entonação de Douglinhas Aguiar, Fernandinho SP e Serginho do Porto.


A madrugada foi das cinco primeiras colocadas do Grupo Especial.

Para o presidente da Dragões da Real (quinta colocado do Grupo Especial) “é um orgulho estar de novo no desfile das campeãs, sendo a escola mais nova do Carnaval de São Paulo”. A agremiação exibiu a moda de viola através do enredo "Minha Música, Minha Raiz. Abram a Porteira Para Essa Gente Caipira e Feliz"composto por Armênio Poesia, Xandinho Nocera, Léo do Cavaco, Ronaldo Maransaldi, Renne Campos, Paulo Senna, Alemão do Pandeiro, Fábio Brazza, CG e Wagner Rodrigues, e interpretação de Renê Sobral.

Logo após a avenida recebeu o espetáculo da quarta colocada do Grupo Especial, Tom Maior. A presidente da escola, Luciana Silva, contou que a comunidade fez “o melhor trabalho […] e tínhamos certeza de um bom resultado”, ao abrir espaço para o empoderamento feminino por meio do enredo “O Brasil de duas Imperatrizes: De Viena para o novo mundo, Carolina Josefa Leopoldina; de Ramos, Imperatriz Leopoldinense”, na composição de Maradona, Amós Turko, Rafa do Cavaco, José Ricardo, Leo Reis e Celsinho Mody, e sob a liderança vocal de Bruno Ribas.
A terceira colocada do Grupo Especial, Mancha Verde, entrou em verdadeiro clima de samba. O presidente da escola, Paulo Rogério de Aquino (Paulo Serdan), fez uma “avaliação de felicidade, de dever cumprido por ter obtido um bom resultado. O Carnaval de São Paulo realmente surpreendeu, e ainda não tivemos nenhuma ocorrência [registrada pela Polícia Militar]”, frisou Serdan.

A escola apresentou nesta edição do Carnaval SP 2018 o enredo homenagem "A amizade. A Mancha agradece do fundo do nosso quintal", na composição de Sereno, Marcelo Casa Nossa, Darlan Alves, R Silva, R Minuetto, Vitor Gabriel e Gui Cruz, e voz de Fredy Vianna.

A Solange Cruz, dirigente da Mocidade Alegre, vice-campeã do Grupo Especial, apostou no enredo homenagem "A Voz Marrom que Não Deixa o Samba Morrer", composto por Biro Biro, Gui Cruz, Imperial, Luciano Rosa, Portuga, Rafael Falanga, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabrie, e nas vozes de Tiganá e Ito Melodia. Segundo Solange, este carnaval "foi incrível, foi maravilhoso, foi um Carnaval belíssimo. O Carnaval de São Paulo cresceu muito. As escolas estão muito equiparadas, todo mundo evoluiu demais, investiu, apostou, acreditou. […] Parabéns à Liga SP por toda essa organização. Os desfiles começaram nos horários certinhos, uma escola atrás da outra, respeito ao público. Isso é muito importante. Acho que a Liga SP amadureceu, as escolas amadureceram e o resultado está aí: bonito de se ver", disse a presidente.

A bicampeã do Grupo Especial, Acadêmicos do Tatuapé, enfatizou as belezas e manifestações artísticas do enredo"Maranhão, os Tambores vão Ecoar na Terra da Encantaria", na composição de Fabiano Tenor, Mike e Luiz Ramos, e entonação de Celsinho Mody.


O dirigente Eduardo dos Santos, faz um balanço sobre a qualidade das apresentações que foram de encontro à ambição da Liga SP de transformar o Carnaval paulistano no maior do Brasil. Na visão do presidente "a primeira coisa a observar é a qualidade técnica dos desfiles. Quando a gente tem um grupo grande de escolas fazendo boa pontuação é porque sem dúvida nenhuma o nível foi elevado. Foi um Carnaval grandioso, fantástico. As escolas se preparam para esse desfile e eu tenho certeza que o conjunto das 14 escolas fez o melhor desfile da história do Carnaval de São Paulo", afirmou Eduardo. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário