PROSA DO FOLIA: Gabriel Vullen, mestre sala do Camisa Verde e Branco - FOLIA DO SAMBA

Anuncio No Post

PROSA DO FOLIA: Gabriel Vullen, mestre sala do Camisa Verde e Branco

Compartilhar
Batendo um papo no prosa do folia ele que defenderá o pavilhão da escola da Barra Funda. Gabriel Vullen, mestre sala do Camisa Verde e Branco


Gabriel Vullen por Gabriel Vullen 
- Um menino alegre de 21 anos que ao chegar em qualquer lugar busca sempre expor o que há de melhor nele, o sorriso. Determinado, o Gabriel não se contenta em apenas sonhar, ele luta diariamente para tornar uma realidade. Embora não pareça, ele é muito emotivo, mas evita demonstrar. 

Como começou o envolvimento com o carnaval ?
- Na teoria, desde sempre. Todos os anos eu assistia aos desfiles pela televisão, fora que já adorava o fervo das apurações (risos). Mas na prática através da minha família. Uma vez, em 2008, acompanhei o meu pai quando ele foi ao Prova de Fogo prestigiar um amigo dele em uma das festas e ali eu me encantei, só aumentou o meu desejo de conhecer mais de perto esse mundo. Em certo desfile, não me recordo o ano, fui ao Anhembi com a minha família ver minha vó e tia desfilar e antes de elas entrarem, me encantei com o casal mirim de Mestre Sala e Porta Bandeira do Uirapuru da Mooca, quando os vi, chamei minha mãe e disse que eu queria ser aquilo, porém ela não sabia qual era o procedimento para isso acontecer. Então foi que em 2010, através da minha avó que fazia parte do G.R.C.E.S. Dragões da Real, que eu pude realmente sentir o que era carnaval, mas não como eu esperava, fui passista. Eu era bem tímido, adorava sambar, mas eu tinha vergonha de arriscar na quadra (risos). Acompanhava ela, e só quando eu chegava em casa que eu sambava lembrando dos toques da bateria. Mas só em 2014 que comecei minha trajetória como Mestre Sala, em que recebi o convite para ser 2º Mestre Sala do Só Vou Se Você For, faltando 1 semana para o desfile, e ali iniciou uma trajetória de muito amor e dedicação a arte.

Por quais agremiações você já participou ?
- Prova de Fogo (2015-2017), Só Vou Se Você For (2014, 2017 e 2018), Império Lapeano (2015), Independente Tricolor (2016) e Imperador do Ipiranga (2017-2018).

Como veio o convite para ser mestre sala do Camisa Verde e Branco ?
- Veio através da Daniela Renzo e da Joice (Porta Bandeira), ambas já conheciam o trabalho que eu desenvolvia na agremiação que me tornou um Imperador, e como a Dani já era minha preparadora, ela já sabia minha metodologia. Ao chegar na quadra do trevo fui muito bem recebido por toda a diretoria que desde o início confiam e apoiam o meu trabalho.
Foto: Sintonia de Bambas

Como é a relação com a sua porta bandeira ?
- ÓTIMA! A Joice é um anjo que Deus colocou em meu caminho, pois além de parceira, ela é muito atenciosa e determinada, assim como eu. Desde o primeiro toque, houve um ligamento. Digo que é um casamento que deu certo e que certamente renderá bons frutos.

Defender um quesito composto apenas por dois integrantes é uma responsabilidade a mais ?
-MUITA! Somos um dos 9 quesitos responsáveis por levar uma escola ao título. É muita responsabilidade, mas quando se têm o apoio da diretoria e da comunidade, somado ao trabalho bem executado, conseguimos alcançar nossos objetivos.

Você tem alguma inspiração no samba ?
- Tenho alguns, gosto bastante de Marcinho Siqueira, da Mocidade Independente de Padre Miguel; Pedro Figueiredo, da União de Jacarepaguá; Jairo Silva, da Tom Maior; Julinho, da Unidos de Viradouro e Leonardo Moreira, da Lins Imperial. Aprecio vários estilos de dança, mas estes mestres são demais.

Como funciona a sua preparação para a folia ?
- Minha preparação começa logo em Abril, em que tiro alguns dias para analisar todos os meus vídeos e ver os pontos a serem desenvolvidos. Acredito que ao finalizar um carnaval, é um momento de recomeço, busco me superar. Além disto, para este carnaval além do ensaio dobrado rs, irei ter o acompanhamento de duas grandes feras da técnica: Daniela Renzo, que desde o carnaval 2018 vem trabalhando a minha dança, e Laís Moreira, Porta Bandeira da Unidos de Vila Maria. Ambas serão minhas preparadoras visando a melhoria da minha postura, a técnica e a dança. 
Foto: Alex Sandro Gardel

Qual a mudança que o carnaval fez na sua vida ?
- Muitas, entre elas foi a valorização que tenho por cultura. O carnaval ultrapassa fronteiras, nos levando a viajar desde os contos infantis a temáticas africanas. Adoro isso, poder entrar em uma agremiação e vislumbrar diversos povos, cada um com o seu jeito, em um mesmo ambiente se respeitando e chorando em prol de uma única coisa, o tremular do pavilhão. Em uma escola de samba somos uma única coisa, o samba!

O que o carnaval significa para você em apenas uma palavra ?
- Dedicação

Aquele recado especial do Gabriel Vullen para os internautas do Folia do Samba e amantes do seu trabalho
- Alô Galera do Folia do Samba, muito obrigado pelo interesse em conhecer a minha história. Aos meus admiradores e afilhados, fica aqui o meu carinho e gratidão, vocês são fundamentais para o meu desenvolvimento, tanto como pessoa quanto como mestre sala, e venho aqui aproveitar e convidar cada um de vocês a apreciarem de perto a nossa arte e a nossa escola, ela está linda! Vamos todos firmes e um excelente carnaval a todos nós! Alô Camisaaaaaaaaaaaaa, Salve!!!! Aqui é Barra Funda!
Foto: Felipe Araujo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncio No Post