SINOPSE DE ENREDO: Unidos de Vila Maria 2019

A escola de samba Unidos de Vila Maria lançou na última semana sua sinopse 2019 ao mundo do samba e aos compositores da sua comunidade. A explanação contou com a presença dos carnavalescos Alexandre Louzada e Cristiano Bara, além de compositores de todo Brasil.


Levando para a avenida o enredo: “Nas asas do grande pássaro, o vôo da Vila ao império do Sol” a agremiação Verde, Azul e Branca espera uma excelente safra de sambas para coroar o grande enredo escolhido pela agremiação. A data de entrega dos sambas é 12 de Agosto, até lá as parcerias podem procurar a secretaria da escola para esclarecer todas as dúvidas.



“Tivemos a sorte de ter uma sinopse pensada em cada detalhe por nossos carnavalescos, a nossa comunidade fará uma homenagem grandiosa a nação peruana e um samba com a nossa cara será fundamental para o sucesso deste projeto! Você compositor fará grande diferença no desfile da Vila Maria em 2019!” , convoca Adilson José presidente da agremiação.


A entrega das obras está agendada para o dia 12/08, e a sinopse já está disponível nas redes sociais da escola.

Sinopse do Enredo

“Nas asas do grande pássaro, o voo da Vila Maria ao Império do Sol”


Vento alísio que varre a história e revira os grãos de areia de sua terra, hoje és brisa leve que em sopros nos eleva além do teto do mundo, sobre a muralha imponente dos picos nevados dos Andes, e faz abrir o portal da morada de “Inti”, fogo ardente. Vento que se esvai e risca no ar uma estrada em poesia a conduzir nas asas largas de um condor viajante o samba da Vila Maria.

Viagem no tempo ao alvorecer da América em eras distantes, visão nos olhos de um passado mítico que nos conta que em certo dia o céu se derramou em lágrimas em um pranto a transbordar. Eis a nascente do majestoso lago, embrião da vida, de onde emergiu sua gente, do espelho d’água resplandecente, o grandioso Império do Sol.

E a terra se inundou de luz e fulgurou pelo chão de suas falésias, desertos e altiplanos, iluminando o horizonte Chavín, Nazca, Paracas, Tiwanaku, alastrando-se em civilizações e suas dinastias por tempos imemoriais. De Caral a Cuzco, dos Mochicas ao esplendor dos Incas, do sonhado “El Dorado” do “Senhor de Sipán”, a história escrita de conquista, bravura e sangue do grande “Pachacutec”.


Sob a regência do arrebol, essência, fecundou-se o solo. A fertilidade de “Mama Killa” cobriu a terra com o manto verdejante da selva, correndo pelos fartos vales e plácidas pastagens de onde brotaram grãos dourados e raízes que foram alimento e tributo, dádiva de fartura e diversidade de cores, aromas e sabores, temperando com “aji” o seu povo moreno.

Do mesmo ardor que resplandece no firmamento se aqueceu a fé em divindades, orações miscigenadas ao tempo, do saber “Quechua” e de Castela a acender em tantos altares sagrados e “profanos”, nas celebrações multifacetadas, de crenças e seus fervores, louvados sejam nas danças e procissões que se erguem em seus andores.

E assim, a rica nação peruana se formou, emblemática por sua ancestral cultura, enigmática em sua indecifrável origem, que paira entre o céu e a terra, uma nação que abraça orgulhosa suas raízes como elo perdido da gênese da América. Um povo para sempre guerreiro que brilha na linha do tempo e nas linhas da vida riscadas em seu chão, reluzindo no silêncio mágico e místico que repousa nos monumentos que vez em quando se revelam das entranhas da terra como testemunha de sua glória.

Eis que ainda és o “El Dorado” por tantas riquezas que ainda se escondem sob suas montanhas, és imperial para sempre, iluminado de Sol e guardado pelo fiel condor, o grande pássaro que hoje estende suas asas também sobre nós, abraça duas nações, lá e cá em um mesmo carnaval, aquecidas pelo mesmo astro no calor humano que nos permite ser, inclusive, súditos desse imenso “Império do Sol”.



Alexandre Louzada
Autor da Sinopse

Nenhum comentário

RESPONSIVE ADS HERE
Tecnologia do Blogger.