PAPO RETO COM TIAGO LINCK - A esperança de um novo amanhã, viva Hayastan - FOLIA DO SAMBA

Anuncio No Post

PAPO RETO COM TIAGO LINCK - A esperança de um novo amanhã, viva Hayastan

Compartilhar

ROSAS DE OURO 2019
ENREDO: "VIVA HAYASTAN"

Foto: Vinicius Farias

Um país de história milenar, cheio de mistérios. De povo alegre e acolhedor que no passado sofreu das tristezas que lhe causaram. Armênia. Vamos embarcar nessa viagem junto com a Rosas de Ouro e falar desse país que é o berço do Cristianismo, um povo de um fé enorme que transforma sua gente.Um país rico de histórias que precisamos conhecer e quem conhece fica apaixonado de cara.

Dizem que o Éden era lá. O famoso Paraíso de Adão e Eva e também da Serpente. Não apenas isso. O Monte Ararat, um montanhoso morro perdido pelos armênios que hoje pertence ao seu país vizinho, a Turquia. Dizem que segundo a Bíblia, foi lá que a arca teria encalhado durante o dilúvio.

Um país que sofreu uma diáspora ao longo do seu tempo mas que mesmo isso não permitiu as tradições antepassadas serem esquecidas, elas permanecem vivas até hoje e que são tão importantes para as gerações futuras.

Um país marcado pelo genocídio e  assim eles querem denominar o que aconteceu, uma história marcada pela morte de milhares de armênios que tiveram que se dispersar por algum motivo seja ele religioso, político e foram em direção aos campos do deserto, porém muitos morriam de fome e até mesmos assassinos, um marca triste desse povo. Um monumento foi construído para esse capítulo triste jamais ser apagado e até mesmo em memória das pessoas mortas nesse holocausto armênico, um monumento em que o mundo reconheça a verdadeira história dessa passagem tão cruel do seu povo.

A viagem continua pela Armênia, um país rico , cheio de curiosidades.
São Gregório, o iluminador, o primeiro líder oficial da Igreja Apostólica Armênica que ficou preso durante 13 anos, sobreviveu a pão e água, saiu da prisão por curar o rei de uma grave doença  e esse rei converteu todo o país.

Falando de pão, Lavash, o pão típico da região que é assado no forno feito embaixo da terra, é preciso muita técnica para fazer ele ficar perfeito, e são feitos pelas mãos de senhoras que tem as habilidades necessárias para isso. A água que escorre milagrosamente da parede de uma caverna que ninguém consegue explicar, as águas que curam doenças, um cenário de paisagens deslumbrantes.Uma culinária deliciosa. Tradições mantidas e vivas até hoje. Duduk um instrumento de sopro presente nesse país, ele traduz a alma, mas seu som sai triste e ao mesmo tempo emocionante se funde com a trajetória desse país.

Armênia e Brasil se misturam, as culturas ganham forma e vida. Por aqui a Armênia está presente levando nome a praça Armênia e inclusive uma estação de metrô ganha seu nome, uma forma de lembrar o genocídio que esse povo sofreu.

Passado e presente difundidos num espaço de tempo, heranças antepassadas que se perpetuaram ao longo da história e que ganham destaque e apenas uma célebre frase marca a lição desse país:”Mesmo que acorrentem meus pés, amarrem minhas mãos, tapem minha boca, meu coração gritará por liberdade.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncio No Post