PAPO RETO COM TIAGO LINCK - Brasil, meu nego deixa eu te contar... - FOLIA DO SAMBA

Anuncio No Post

PAPO RETO COM TIAGO LINCK - Brasil, meu nego deixa eu te contar...

Compartilhar

ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA 2019
ENREDO:”HISTÓRIA PRA NINAR GENTE GRANDE”


Foto: Thiago Mattos

A História do nosso Brasil que você conhece passada a limpo de um jeito que você não conhece. Parece meio contraditório, mas a Mangueira em 2019 usa a arte para poder criticar,na verdade traz em seu Carnaval, personagens muito importantes, importantes mesmo que a história fez questão de apagá-los e aqui vamos trazê-los como forma de por nos panos limpos o que te contaram até hoje e o que você acredita ser verdade até hoje, histórinhas pra ninar gente grande, título mais que perfeito para resgatar quem realmente de fato merece estar nos livros mas que por causa daqueles que tinham o poder da escrita, friamente esconderam e ainda escondem quem lutou pelo povo.

Descobrimento. Aqui eu sempre bato na tecla que Brasil não foi descoberto não. Há registros que a história conta no tempo, senhor da razão, o tempo mostra a datação de mais de 12 mil anos, mas o que se lê nos livros é que comemoramos os mais de quinhentos anos justamente por cair sobre os índigenas a culpa por um país ser atrasado. Sinômino de um perdedor e assim esconde aqueles que por aqui mantinham sua cultura, essa sucumbida pelas caravelas portuguesas, total descaso com que a história é tratada e também como tratam as questões que se dizem respeito aos indígenas.500 anos de um descobrimento que a linha do tempo apagou pelas mãos de quem tem o poder da escrita, ao selecionar seus herois, escolher seus personagens como portagonistas de um Brasil que precisa de fato tornar ao viés público os verdadeiros personagens que lutaram pelos seus direitos, e aqui não cito apenas os índios, mas também negros e tantos outros personagens que tiveram importância para a história do seu povo.
É insolente deixar de lado quem esteve na linha de frente do perigo, quem lutou contra bravios poderosos e simplesmente serem apagados, nem citados nas páginas de um livro.
Mas a arte permiti contar esse lado b do Brasil. Histórias que fizeram você ninar até hoje e talvez contando o lado b de tudo isso, você desperte desse “sonho”que te contaram.

Como esquecer dos líderes negros que saíram em defesa de sua gente, bateram no peito para se libertarem da escravidão. O grito foi de quem viu seu povo sofrer na chibata, mas a história de ninar, mostra que pelas mãos da Princesa Isabel,os negros foram libertos, e de fato não está errado,mas escondem nas páginas toda luta que se travava antes mesmo de chegar na pena e assinar a libertação. Trato aqui com respeito pela Princesa, mas exalto aqui as glórias de um povo lutador, Zumbi dos Palmares, Dandara, Luiza Mahin,Maria Felipa, estes verdadeiros libertadores de uma escravidão brasileira que sangrava.Cá para nós, eles não veremos nas páginas dos livros e muito menos nas provas escolares que você já fez na sua vida. A realeza negra que você não verá nessa história de um Brasil descoberto.

As histórias ainda não param, e vamos falar de novos personagens que estão ali nas páginas e na sua cabeça, estes julgo aqui. Cabral, o ladrão que saqueou Brasil, amiguinho de  Pedro II, autor de uma proclamação continuísta, sem o povo, digo aqui em golpe, e se foi golpe, na República o golpe não é novidade né meus caros senhores. E os golpes mal contados também para você acreditar que esses personagens foram bons o suficiente e deixar morrer direitos de um povo que é massacrado, mas eles são exaltados, ganham além de destaques nas páginas dos livros, nomes pelas ruas, avenidas, sem conhecer a real história que está contada ali.

Mas por de fato nas páginas dessa história por alguém sem valores para eles seria tão ruim não é mesmo. A gente cresceu e hoje pode se retratar as verdadeiras histórias de quem lutou.Se para eles não serviram esses nomes, para nós servirá,pois vamos varrer para os porões aqueles que são exaltados nas histórias que te contam, e subiremos ao altar do samba, gente heroína, que pingou lágrima e dor ao ver na sua carne suas lutas terem efeitos.

Por aqui aqueles que sustentam o ar de inferioridade, não passarão. Aqui passarão quem está adormecido, apenas lembrados nas histórias, porque se folhear as páginas de um Brasil eles não estarão lá e tão pouco encontraremos esse povo com destaque. Perdoe-me trocar alguns nomes que pra mim são mais importantes do que me ninaram, é que cresci e hoje quero dormir sabendo que os heróis que me contaram não foram tão heróis, tiveram sua importância, mas atrás deles é que a história precisa ser contada e jamais apagada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncio No Post