#TBT - Lembranças do Carnaval - Egili Oliveira


Quem vê os artistas do mundo do samba, não imaginam como tudo começou. Coisas marcantes em sua vida, carreiras, até chegar nos prestígios e admiração aos apaixonados pelo carnaval. Através do "TBT - Lembranças do Carnaval", o Folia Do Samba quer fazer o nosso entrevistado relembrar momentos e dividir isso com o público, para conhecer um pouco mais de cada um. Então, vamos relembrar?

Egili Oliveira é Rainha de Bateria do Acadêmicos do Vigário Geral. Sambista desde criança, já passou por diversas escolas e segmentos, até os dias atuais onde reina à frente dos ritmistas da Swing Puro. A convidada de hoje relembra sua trajetória e compartilha alguns casos conosco. Vamos relembrar?

A primeira vez de Egili em uma quadra de escola de samba foi com apenas 5 anos de idade. Fascinada pelo carnaval, visitou uma escola de Niterói chamada Unidos do Bem Amado, mas  só fez a sua estreia em um desfile aos 14 anos.

Dentre tantos carnavais da carreira da sambista, um samba lhe chama mais atenção e se tornou marcante. "Sem dúvidas foi Candaces, enredo do Salgueiro em 2007. Desfilei como passista e é um samba que me toca profundamente porque exalta a nossa ancestralidade, a força da mulher negra africana que, de fato, é a raiz da criação. São versos que retratam muito a importância do universo negro e feminino e, nos tempos em que estamos vivendo, acho que seria uma bela reedição em qualquer escola."

Foto: Daniel Pinheiro
A beldade já concorreu no concurso de rainha do carnaval carioca. Em 2012, utilizou uma fantasia que se tornou inesquecível, a representação de Oxum."Eu encarnei a personagem de uma forma que meu corpo foi tomado pela emoção. Foi uma apresentação com muita força pois meus olhos vinham cobertos e o espelho de Oxum na mão.  Um momento mágico para mim e também para muitos amigos que até hoje comentam sobre essa apresentação."


Nem só de Glamour vive uma beldade no carnaval. Os perrengues estão ai como empecilho em qualquer um. Egili em 2019 desfilou na Renascer de Jacarepaguá. Seu último desfile na agremiação e ainda possuía o cargo de madrinha da escola. Além disso, ficou responsável pela ala internacional, com todas as fantasias chegando em sua casa.



"Faltavam apenas duas horas para o desfile. Imagine a tensão eu ter que coordenar 40 estrangeiros, precisar me maquiar, me arrumar. Só pensei em mim depois que consegui resolver todos os problemas e tive que correr muito para não perder o desfile. Por conta disto, me arrumei correndo, fiquei tensa do inicio ao fim mas o meu samba no pé me resgatou e me fez lembrar qual era o meu papel, independente das dificuldades. Foi realmente um desfile tenso, mas também um aprendizado e, receber o aplauso do público recompensou absolutamente tudo."

No Carnaval 2020, Egili realizou seu sonho de ser tornar rainha de bateria na Sapucaí. Foi a estreia da Majestade pelo Acadêmicos de Vigário Geral. Com todo seu histórico e caminhada no mundo do carnaval, passar como rainha tornou-se 2020 como seu carnaval mais marcante.

"Cheguei na Acadêmicos de Vigário Geral, uma escola pela qual eu me apaixonei e onde eu realmente me identifiquei por conta da garra de todos. Foi muito duro o caminho para chegar até aqui, mas consegui e tenho orgulho de dizer que foi através da minha arte e de um trabalho de anos de dedicação ao samba e ao carnaval. Somando-se a isto, um desfile de superação, com a pista molhada, mas com  a alma feliz de saber que tudo o que plantei está sendo colhido e com um resultado muito melhor do que eu poderia imaginar!"
Foto: Viviane Medina | Riotur 

Nenhum comentário

RESPONSIVE ADS HERE
Tecnologia do Blogger.