PROSA DO FOLIA: Diego Jenkins, Mestre-sala da Viradouro e Vigário Geral


Trajetória, inspirações, preparação, hoje é dia de Prosa do Folia. Dia de conhecer mais sobre a carreira de Diego Jenkins, Mestre-sala da Viradouro e Vigário Geral 


Quem é o Diego Jenkins? 

- O Diego do dia a dia é técnico em gestão empresarial, fotógrafo e futuro publicitário. Um cara que não mede esforços para alcançar seus sonhos e ser amigo. Sistemático, intenso e observador.


Como começou o envolvimento com o carnaval?

- Lá atrás, entre os anos de 2004 e 2005, quando minha mãe trabalhava com a esposa do mestre-sala da Imperatriz, Chiquinho, em uma fundação ao lado do Sambódromo. Com esse contato direto, acompanhava ele e Maria Helena nos ensaios e acabei me envolvendo com o samba. 


Por quais agremiações você já desfilou?

- Unidos da Villa Rica, Unidos do Jacarezinho, Lins Imperial, Acadêmicos do Engenho da Rainha, Acadêmicos de Vigário Geral, Unidos do Viradouro e no carnaval de Niterói, no Império de Araribóia.


Como começou sua relação e o convite para a Viradouro e a Vigário Geral? 

- Na Viradouro, em 2017, comecei a integrar o projeto e a ala de formação de casais de mestre-sala e porta-bandeira da escola, quando a convite do presidente, passei a fazer parte do time oficial da agremiação. Em Vigário, no mesmo ano, o convite veio com a minha saída do Engenho da Rainha. Na época, o diretor de carnaval Gabriel Macedo me fez o convite e eu prontamente aceitei. 


Como é a relação suas parceiras no samba?

- Baseada em muita amizade, LEALDADE e cumplicidade. Sem esses fatores, a minha dança não flui. Preciso ter alguém que eu possa confiar e me entregar. A relação fora samba é importante para o nosso desenvolvimento e entrosamento dentro da dança. 


Você tem alguma inspiração no samba?

- Sim. Julinho e Rute sempre foram minha inspiração no samba e, principalmente, na vida.


Como funciona a sua preparação para o desfile?

- Ela começa quase depois do término do desfile anterior. Ensaios no barracão, ensaios na Sapucaí, na quadra, na rua, sem fantasia e com fantasia. Além de acompanhamento nutricional, físico e psicológico.


Qual a mudança que o carnaval fez na sua vida?

- O samba acrescentou bastante na formação do meu caráter. Me ensinou a ter disciplina, responsabilidade e postura. Me deu muitos exemplos de atitudes que eu não quero ter, e de pessoas que eu não quero ser. 


O que o carnaval significa para você em apenas uma palavra?

- Amor.


Aquele recado especial do Diego para os internautas do Folia do Samba e amantes do seu trabalho.

- Gostaria de agradecer e parabenizar o Folia do Samba pela iniciativa de manter acesa a chama do carnaval em tempo de isolamento social. Peço para não desistirem dos seus sonhos. Que lutem pelos seus objetivos, sem passar por cima de ninguém. Se dediquem cada vez mais e façam com amor e por amor, sem pressa, respeitando o seu próprio tempo.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.